Contribuições italianas para a compreensão da organicidade na Arquivologia

Autores

  • Camila Daniela Lima de Souza Gomes Universidade de Brasília UnB
  • Angelica Alves da Cunha Marques Universidade de Brasília UnB

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2021v16n1.57917

Resumo

Os documentos de arquivo decorrem das atividades de uma pessoa jurídica ou física e possuem vínculos com essas pessoas e entre si. Esses vínculos conferem sentidos genéticos aos documentos, mediante o reconhecimento da sua essência, a organicidade. Relacionada aos princípios, aos métodos e às funções arquivísticas, a organicidade é frequentemente apresentada na literatura da área. Este artigo objetiva analisar as definições de organicidade apresentadas em três manuais italianos, publicados entre 1928 e 1993. Como uma pesquisa exploratória, descritiva e explicativa, parte de um estudo bibliográfico a fim de analisar a importância da organicidade para a delimitação do campo científico da Arquivologia e do seu objeto de estudo e, também, para a aplicação teórica dos seus princípios e funções. Diante das análises realizadas, depreende-se que a organicidade está fortemente presente nos discursos da área, mais implícita do que explicitamente, o que destaca a necessidade de estudos mais aprofundados acerca do tema, uma vez que a organicidade é um conceito essencial para a cientificidade da Arquivologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-03-20

Edição

Seção

Pesquisas em andamento