O objeto de estudo da Ciência da Informação: a morte do indivíduo

  • Luiz Fernando de Barros Campos
  • Ludmila Salomão Venâncio
Palavras-chave: Objeto de Estudo, Cognitivismo, Neopragmatismo, Linguagem, Construtivismo, Análise de Domínio

Resumo

Argumenta-se que o campo da Ciência da Informação encontrou sua expressão máxima do individualismo quando adotou uma orientação cognitivista, parcialmente como desdobramento da valorização do físico e sistêmico em seus anos fundadores. Procura-se mostrar, por meio de uma exposição epistemológica de metateorias, que as tendências atuais apontam para a premência de uma abordagem holística e interdisciplinar, que efetivamente integre o material e o social e incorpore múltiplas dimensões, como a sociológica, situacional, política, filosófica, lingüística, emocional, cultural, histórica e epistemológica. Assim, destaca-se a emergência do neopragmatismo, dos novos estudos da linguagem e da mente, do construtivismo e suas repercussões no campo. A análise de domínio é considerada exemplar do argumento defendido, e por isso são expostos seus fundamentos. Os conceitos e a metodologia de Foucault são admitidos como um meio efetivo de constituição de objetos de estudos integrados. Ainda, no escopo delimitado, reconhecendo a tensão em que a virtualidade coloca a materialidade documental, efetuam-se alguns comentários sobre suas implicações. Acesso ao texto completo (PDF)
Publicado
2007-07-08
Seção
Resumos de artigos científicos