[EN] Orientalismo em um só País? Raça, Região e Nação no Brasil do Século XX

Autores

  • Barbara Weinstein NYU

Palavras-chave:

Orientalismo, Regionalismo, Constitucionalismo.

Resumo

Este artigo tem em conta diferentes abordagens para o problema das desigualdades regionais no contexto das nações latino-americanas, em especial o Brasil, como é o caso analisado. Desde inícios dos anos 60, os pesquisadores tinham usado a expressão “colonialismo interno” para analisar tais desigualdades, mas o conceito saiu de uso nos anos 80 com o pós-estruturalismo e a virada cultural, também intitulada em inglês de cultural turn. Apesar disto, as diferenças regionais continuavam a ser uma característica das sociedades latino-americanas. Este artigo traz a ideia de adaptar o conceito de Edward Said acerca do “orientalismo”, em processos pelos quais a diferença produz a naturalização das desigualdades regionais para então explorar a maneira como este orientalismo interno emergiu do crescimento dominante da região de São Paulo, especialmente frente ao Norte ou ao Nordeste. Em particular, o estudo aborda o movimento regionalista de 1932, conhecido como Revolução Constitucionalista, na qual São Paulo levantou armas contra o governo federal, declarando sua indisposição em se subordinar à autoridade de políticos de regiões consideradas “inferiores”. Este período de chauvinismo paulista intenso nos permite ver o caminho pelo qual a diferença regional se tornou uma questão racial, e como as demandas de modernidade ficaram associadas com identidades de brancura racial. Ao mesmo tempo, a localização de São Paulo na mesma nação dos seus oponentes regionais limitou o grau de sua hegemonia política e cultural, ainda que tenha permanecido como a “locomotiva econômica” do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Barbara Weinstein, NYU

Professor, NYU

Downloads

Publicado

2016-02-20

Como Citar

WEINSTEIN, B. [EN] Orientalismo em um só País? Raça, Região e Nação no Brasil do Século XX. Prim Facie, [S. l.], v. 14, n. 27, p. 01–29, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/primafacie/article/view/27575. Acesso em: 19 jul. 2024.