TOXICIDADE AGUDA EM RATOS WISTAR TRATADOS COM O EXTRATO ETANÓLICO DE Dioclea grandiflora Mart. Ex Benth (Fabaceae) (EEDg )

  • Josue Amaral RAMALHO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
  • Ivana Ferreira GORGONIO
  • Andressa Brito LIRA
  • Mateus Feitosa ALVES
  • Luciana da Silva Nunes RAMALHO
  • Ricardo Barros CARDOSO
  • Guilherme Eduardo Nunes DIAS
  • Edla Julinda Ribeiro Coutinho Espinola GUEDES
  • Kardilândia Mendes OLIVEIRA
  • Reinaldo Nóbrega de ALMEIDA
  • Margareth de Fátima Formiga Melo DINIZ
  • Isac Almeida de MEDEIROS

Resumo

Introdução : A Dioclea grandiflora, conhecido como Mucunã de caroço, atua sobre o Sistema Nervoso Central, doenças da próstata e pedras nos rins. Objetivo: Realizar estudo toxicológico não clínico agudo, em ratos, com base na Instrução Normativa nº4, de 18 de junho de 2014 da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Metodologia: Foram utilizados ratos Wistar, ambos os sexos, dose 2000 mg/kg, via oral , do extrato etanólico bruto de Dioclea grandiflora administrado a um grupo tratado e um grupo controle (veiculo). Após a administração, os parâmetros de comportamento foi observado por 30, 60, 90, 120, 180 e 240 minutos, consumo de ração e água, parâmetros hematológicos e bioquímicos. O número de sobreviventes contabilizados para determinar a DL50. Resultados: Houve aumento estatisticamente significativo no consumo de água ( Controle: 160,4 + ou -5,85; Tratado: 201,3 + ou -8,55) e ração das fêmeas ( Controle: 95,98+ ou - 3,02; Tratado: 113,1 + ou -2,42) e aumento estatisticamente significativo no consumo de água ( Controle: 236,7+ ou - 6,43; Tratado: 267,5 + ou -8,72) e ração dos machos ( Controle: 152,4 + ou - 2,51; Tratado: 177,6 + ou -4,15) . Aumento estatisticamente significativo na albumina dos machos ( Controle: 3,2 + ou -0,08; Tratado: 3,6 + ou -0,08), nas fêmeas reduziu estatisticamente significativo a fosfatase alcalina ( Controle: 198,5 + ou -18,81; Tratado: 99,97 + ou -16,02) , proteína total ( Controle: 7,85 + ou -0,09; Tratado: 6,85 + ou - 0,24) e globulinas ( Controle: 4,28 + ou - 0,14; Tratado: 3,27 + ou -0,27). Diminuiu estatisticamente significativo o número de hemácias nas fêmeas ( Controle: 10,18 + ou - 0,28; Tratado: 9,62 + ou - 0,18). Conclusão: De acordo com os resultados a DL50 foi superior a dose testada, porém são necessários estudos toxicológicos de longa duração para atestar a segurança de seu uso. Descritores Sistema Nervoso Central. Toxicidade aguda. Ratos Wistar.
Publicado
2015-08-26
Como Citar
RAMALHO, J. A., GORGONIO, I. F., LIRA, A. B., ALVES, M. F., RAMALHO, L. da S. N., CARDOSO, R. B., DIAS, G. E. N., GUEDES, E. J. R. C. E., OLIVEIRA, K. M., ALMEIDA, R. N. de, DINIZ, M. de F. F. M., & MEDEIROS, I. A. de. (2015). TOXICIDADE AGUDA EM RATOS WISTAR TRATADOS COM O EXTRATO ETANÓLICO DE Dioclea grandiflora Mart. Ex Benth (Fabaceae) (EEDg ). Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 18(4), 279-286. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/23185
Seção
Pesquisa