ESTIMATIVAS DA INCIDÊNCIA E MORTALIDADE POR VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA E SUA RELAÇÃO COM OS INDICADORES SOCIAIS NOS ESTADOS DO BRASIL

  • Rafaela Lira Formiga Cavalcanti de LIMA Universidade Federal Rural de Pernambuco Endereço de correspondência: Campus Universitário I – Departamento de Estatística – Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde - João Pessoa - PB - Brasil - CEP: 58051-900. Tel.: 3216-7592. http://orcid.org/0000-0003-1272-0067
  • Nuno Ricardo Tiene Lima MOREIRA Faculdade dos Guararapes.
  • Amira Rose Costa MEDEIROS Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Ronei Marcos de MORAES Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • João Agnaldo do NASCIMENTO Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Rodrigo Pinheiro de Toledo VIANNA Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Sérgio Ribeiro dos SANTOS Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Resumo

Objetivos: estimar as taxas de incidência e mortalidade por Vírus da Imunodeficiência Humana/Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (HIV/AIDS) nas diferentes unidades da federação do Brasil e avaliar a relação dessas com alguns indicadores sociais e econômicos da população. Material e Métodos: trata-se de um estudo ecológico, onde as informações utilizadas são originadas de dados coletados em fontes oficiais e na vigilância epidemiológica. A ferramenta de análise escolhida foi a regressão linear múltipla com auxílio da estatística de Durbin-Watson na seleção das variáveis independentes do modelo. Foram avaliados os dados das taxas de incidência e mortalidade por HIV/AIDS em todos os Estados do Brasil. Dentre os indicadores sociais e econômicos selecionados destacam-se:o IDHM, Índice de Gini, renda per capita e taxa de analfabetismo. Resultados: o Estado que apresentou maior taxa de mortalidade por HIV/AIDS foi o Rio Grande do Sul. Os Estados da Região Nordeste, com exceção de Pernambuco, apresentaram baixa taxa de mortalidade por HIV/AIDS. O modelo de regressão linear múltiplarevelou que entre as variáveis sociais e econômicas selecionadas, apenas a população a partir de 18 anos está exposta a morbidade e a mortalidade por HIV/AIDS. Conclusão: as taxas de morbidade e a mortalidade por HIV/AIDAS nos diferentes Estados do Brasil ainda são altas. As políticas públicas implementadas para combater a doença têm conseguido diminuir a mortalidade, mas não impedem o surgimento de novos casos. As variáveis sociais e econômicas não explicam a morbidade e mortalidade por HIV/AIDS, porém, acredita-se que esses fatores podem influenciar na qualidade de vida dos portadores de HIV/AIDS. DESCRITORES HIV/AIDS. Incidência. Mortalidade. Indicadores Sociais.

Biografia do Autor

Rafaela Lira Formiga Cavalcanti de LIMA, Universidade Federal Rural de Pernambuco Endereço de correspondência: Campus Universitário I – Departamento de Estatística – Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde - João Pessoa - PB - Brasil - CEP: 58051-900. Tel.: 3216-7592.
Rafaela Lira Formiga Cavalcanti de Lima (LIMA, R. L. F. C.) Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde da UFPB. Nutricionista. Mestre em Ciências da Nutrição pela UFPB. Professora Adjunta da UFRPE.
Nuno Ricardo Tiene Lima MOREIRA, Faculdade dos Guararapes.
Mestre em Modelos de Decisão e Saúde pela UFPB. Fisioterapeuta. Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica pela Universidade Gama e Filho. Professor da Faculdade dos Guararapes.
Amira Rose Costa MEDEIROS, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Modelos de Decisão e Saúde da UFPB. Médica Cardiologista. Mestre em Enfermagem de Saúde Pública pela UFPB. Professora Assistente II da UFPB.
Ronei Marcos de MORAES, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Doutor em Computação Aplicada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1998). Pós-Doutorado. Université Toulouse III Paul Sabatier. (2013). Pós-doutorado em Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da USP (2001). Professor associado do Departamento de Estatística da UFPB. CCEN-UFPB.
João Agnaldo do NASCIMENTO, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Doutor em Estatística pela Universidade de São Paulo. Engenheiro Mecânico. Mestre em Estatística. Professor Adjunto do Departamento de Estatística da UFPB. CCEN-UFPB.
Rodrigo Pinheiro de Toledo VIANNA, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Doutor em Saúde Coletiva - epidemiologia - pelo Departamento e Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Pós-Doutorado Yale University – School of Medicine. Professor Associado do Departamento de Nutrição da UFPB.
Sérgio Ribeiro dos SANTOS, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Doutor em Ciências da Saúde (2002) e em Sociologia (2008) pela Universidade Federal da Paraíba. Possui Graduação nos cursos de Enfermagem (1982) e Administração (1989) pela Universidade Federal da Paraíba. Especialização em Saúde Pública (1987), Mestrado em Enfermagem (1992) e Professor Titular da UFPB.
Publicado
2017-03-11
Como Citar
LIMA, R. L. F. C. de, MOREIRA, N. R. T. L., MEDEIROS, A. R. C., MORAES, R. M. de, NASCIMENTO, J. A. do, VIANNA, R. P. de T., & SANTOS, S. R. dos. (2017). ESTIMATIVAS DA INCIDÊNCIA E MORTALIDADE POR VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA E SUA RELAÇÃO COM OS INDICADORES SOCIAIS NOS ESTADOS DO BRASIL. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 21(2), 139-144. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2017v21n2.28569
Seção
Pesquisa