[ID 48409] LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA E LEISHMANIOSE VISCERAL: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO EM ALAGOAS 2013- 2017

  • Allana Fernanda Sena dos Santos
  • Thaís Rafaela Santos Pinto Calheiros
  • Mirela Suelen de Lima Santos
  • Anacássia Fonseca de Lima
  • Antônio Fernando Silva Xavier Júnior

Resumo

Objetivo: Caracterizar o perfil epidemiológico dos casos de leishmaniose tegumentar americana e visceral em Alagoas, no período de 2013 a 2017. Metodologia: Estudo epidemiológico transversal de abordagem quantitativa, utilizando-se o coeficiente de incidência por 100 mil habitantes, razão de risco da ocorrência dos casos, tendência linear e a análise da relação dos casos ocorridos utilizando a correlação de Pearson. Os dados foram coletados do DATASUS e do IBGE. Resultados: Foi observado o registro de 331 casos com incidência média de 2,0/100.000 habitantes e de β=-0,1236, R² =0,0095/r = 0,99 para leishmaniose tegumentar americana e 187 casos com incidência de 1,2/100.000 habitantes e de β= 0,06, R= 0,0769/r = 0,99 para leishmaniose visceral. O sexo predominante foi o masculino com incidência de 2,7/ 100.000 habitantes para LTA e 1,5/ 100.000 habitantes para LV. No sexo feminino o índice foi de 1,3/ 100.000 habitantes para LTA e 0,7/ 100.000 para LV. O maior índice de LTA ocorreu na faixa etária de 70 a 79 anos, seguido da faixa de 15 a 19 anos. Os casos de maior relevância na LV ocorreram nas faixas etárias de 0 a 4 anos e 5 a 9 anos. Conclusão: O perfil epidemiológico dos casos de leishmaniose tegumentar americana e visceral foi de indivíduos masculinos, na faixa etária de 70 a 79 anos, e de 0 a 4 anos, raça parda, forma clínica cutânea, critério de confirmação laboratorial. DESCRITORES: Epidemiologia. Leishmaniose Cutânea. Leishmaniose Visceral. Incidência.
Publicado
2020-06-19
Como Citar
dos Santos, A. F. S., Calheiros, T. R. S. P., Santos, M. S. de L., de Lima, A. F., & Xavier Júnior, A. F. S. (2020). [ID 48409] LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA E LEISHMANIOSE VISCERAL: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO EM ALAGOAS 2013- 2017. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 24(2). https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2020v24n2.48409
Seção
Artigo de Pesquisa