Ictiofauna do Parque Estadual Mata do Xém-Xém, bacia do rio Paraíba do Norte, Paraíba, Brasil

  • Telton Pedro Anselmo Ramos Universidade Estadual da Paraíba, Departamento de Biologia/CCBS, Laboratório de Ecologia Aquática, Campus universitário, CEP 58109-753, Campina Grande, PB, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-3808-8701
  • Silvia Yasmin Lustosa Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Biociências, Departamento de Botânica e Zoologia, Laboratório de Ictiologia Sistemática e Evolutiva, Campus Central, Lagoa Nova, CEP 59078-900, Natal, RN, Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2405-7039
  • Leonardo Oliveira Silva Universidade Federal da Bahia, Instituto de Biologia, Rua Barão de Geremoabo, 147, Ondina, CEP 40170–290, Salvador, BA, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4153-5648
Palavras-chave: espécies exóticas, inventário, peixes de água doce, Unidade de Conservação.

Resumo

Neste trabalho são apresentados dados referentes a um inventário da fauna de peixes do Parque Estadual Mata do Xem-Xém, uma Unidade de Conservação localizada no trecho inferior da bacia hidrográfica do rio Paraíba do Norte, sob domínio de Mata Atlântica, Estado da Paraíba, Brasil. Foram amostrados sete pontos de coleta em diferentes ambientes aquáticos, incluindo rios, riachos, e um lago, situados tanto no interior quanto no entorno da unidade. Foram registradas 15 espécies de peixes, das quais 13 são nativas e duas introduzidas (Oreochromis niloticus e Poecilia reticulata), distribuídas em quatro ordens, seis famílias e 13 gêneros. Embora tenha sido registrada apenas no lago, recomenda-se o controle da população de Oreochromis niloticus desta Unidade de conservação, em função das ameaças que a espécie pode representar à ictiofauna nativa e aos demais ecossistemas aquáticos da região.

Referências

Abell R, Thieme M L, Revenga C, Bryer M, Kottelat M, Bogutskaya N, Coad B, Mandrak N, Contreras-Balderas S, Bussing W, Stiassny M L J, Skelton P, Allen G R, Unmack P, Naseka A, Ng R, Sindorf N, Robertson J, Armijo E, Higgins J V, Heibel T J, Wikramanayake E, Olson D, López H L, Reis R E, Lundberg J G, Sabaj-Pérez M H, Petry P. 2008. Freshwater ecoregions of the world: a new map of biogeographic units for freshwater biodiversity conservation. Bioscience 58(5):403-414.

Agostinho A A. 1993. Considerações sobre a ictiofauna das principais bacias hidrográficas brasileiras. Anais do Xº Encontro Brasileiro de Ictiologia, 301.

Agostinho A A. 1996. Ameaça Ecológica: Peixes de outras águas. Revista Ciência Hoje. Vol.21/n° 124. p. 36-44.

Albagli S. 2001. Amazônia: Fronteira Geopolítica de Biodiversidade. Parcerias estratégicas, n. 12, p. 5-9.

Attayde J L, Okun N, Brasil J, Menezes R, Mesquita P. 2007. Os impactos da introdução da tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, sobre a estrutura trófica dos ecossistemas aquáticos do Bioma Caatinga. Oecologia Brasiliensis, 11(3), 450-461.

Buckup P A. 1998. A piscicultura de espécies exóticas e problemas ecológicos. A Natureza em Revista. pp. 20-23.

Costa S Y L., Viana L G, Barbosa J E L, Ramos T P A. 2017. Composition of the ichthyofauna in Brazilian semiarid reservoirs. Biota Neotropica. 17(3): e20170334

Drenner R W, Smith J D, Threlkeld S T. 1996. Lake trophic state and the limnological effects of omnivorous fish. Hydrobiologia, 319(3), 213-223.

Fricke R, Eschmeyer W N, Van der Laan R. 2019. ESCHMEYER'S CATALOG OF FISHES: GENERA,SPECIES,.(http://researcharchive.calacademy.org/research/ichthyology/catalog/fishcatmain.asp). Electronic version accessed 18 Mai 2019.

Gomes-Filho G, Rosa S R. 2001. Inventário da Ictiofauna da Bacia do Rio Gramame, Paraíba, Brasil. In: A Bacia do Rio Gramame: Biodiversidade, Uso e Conservação. Watanabe, T (ed.). João Pessoa: Prodema, p 167-173.

Gomes-Filho G. 1999. Characiformes (Actinopterygii: Ostariophysi) das Bacias Costeiras do Estado da Paraíba. João Pessoa: Departamento de Sistemática e Ecologia/UFPB. 1999. 90 p.

Gouveia R S D, Lira G L A, Ramos T P A, Medeiros E S F. 2017. Ichthyofauna of the Reserva Biológica Guaribas and surrounding areas, state of Paraíba, Brazil. Check List. 13(5): 581-590. https://doi. org/10.15560/13.5.581.

Gurgel J J S, Fernando C H. 1994. Fisheries in Semi‐Arid Northeast Brazil with Special Reference to the Role of Tilapias. Internationale Revue der gesamten Hydrobiologie und Hydrographie, 79(1), 77-94.

Hubbs C L, Lagler K F. 2006. Fishes of the Great Lakes region. Ann Arbor: University of Michigan Press. p.1-213.

Leão T C, Almeida W D, Dechoum M D E S, Ziller S R. 2011. Espécies exóticas invasoras no Nordeste do Brasil: contextualização, manejo e políticas públicas. Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste e Instituto Hórus de Desenvolvimento e Conservação Ambiental. Recife, PE, 33.

Levis C, Ramos T P A, Lima S M Q. 2013. A disputa desigual entre peixes nativos e exóticos do semiárido. Natal: EDUFRN. 67p.

Lira G L A. 2015. Ictiofauna da bacia do rio Abiaí, Nordeste, Brasil. João Pessoa: Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas/UEPB. p.58 .

Lucinda P. H. 2003. Family Poeciliidae. Check list of the freshwater fishes of South and Central America, 555, 581.

Magalhães A L B. 2008. O gupi Poecilia reticulata Peters (Osteichthyes, Poeciliidae) introduzido na Serra do Espinhaço, Minas Gerais. Boletim da Sociedade Brasileira de Ictiologia, 92, 5-7.

Malabarba L R, Reis R E. 1987. Manual de técnicas para a preparação de coleções zoológicas. Sociedade Brasileira de Zoologia, Campinas, v. 36, p. 1-14.

Menezes N A, Weitzman S H, Oyakawa O T, Lima F C T D, Correa e Castro R M, Weitzman M J. 2007. Peixes de água doce da Mata Atlântica: lista preliminar das espécies e comentários sobre conservação de peixes de água doce neotropicais. São Paulo: Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. 407 pp.

Ministério Do Meio Ambiente. 2014. Lista Nacional do Risco de Extinção da Fauna Brasileira. Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (Portaria MMA n°445, de 17 de dezembro de 2014).

MMA. 2019. Unidade de Conservação. Sistema Nacional de Conservação da Natureza. Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-de-conservacao. Acesso em 18/05/2019.

Odum E P. 1988. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Oliveira-Silva L, Ramos T P A, Carvalho-Rocha Y G P, Viana K M P, Avellar R C, Ramos R T C. 2018. Ichthyofauna of the Mamanguape river basin, Northeastern, Brazil. Biota Neotropica. 18(3): e20170452.

Paiva R E C, Lima S M Q, Ramos T P A, Mendes L. 2014. Fish fauna of Pratagi River coastal microbasin, extreme north Atlantic Forest, Rio Grande do Norte State, northeastern Brazil. Check List (São Paulo. Online), v. 10, p. 968-975.

Pinto L P, Hirota M, Guimarães E, Fonseca M, Martinez D I, Takahashi C K. 2018. Unidades de Conservação Municipais da Mata Atlântica. Relatório Técnico. São Paulo: Fundação SOS Mata Atlântica.

Ramos T P A, Lima J A S, Costa S Y L, Silva M J, Avellar R C, Oliveira-Silva L. 2018. Continental ichthyofauna from the Paraíba do Norte River basin pre-transposition of the São Francisco River, Northeastern Brazil. Biota Neotropica. 18(4): e20170471.

Ramos T P A. 2012. Ictiofauna de Água Doce da Bacia do rio Parnaíba. João Pessoa: Departamento de Sistemática e Ecologia/UFPB. 2012. 434 p. (Tese de Doutorado).

Reis R E, Kullander S O, Ferraris J, Carl J. 2003. Check List of the freshwater fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS. 729p.

Rodrigues-Filho C A S, Gurgel-Lourenco R C, Bezerra L A V, Sousa W A, Garcez D S, Lima S M Q, Ramos T P A, Botero J I S. 2016. Ichthyofauna of the humid forest enclaves in the tablelands of Ibiapaba and Araripe, Northeastern Brazil. Biota Neotropica (Online. Edição em Inglês), v. 14, p. e20160273.

Rosa R S, Groth F. 2004. Ictiofauna dos Ecossistemas de Brejos de Altitude de Pernambuco e Paraíba. In: Kátia C Porto; J.J.P. Cabral; p.201-210

Sá-Neto A A. 2004. Levantamento da Ictiofauna de Água Doce da bacia do rio Jaguaribe, João Pessoa, PB. João Pessoa: Departamento de Sistemática e Ecologia/UFPB. 2004. 30p. (Monografia).

Secretaria Extraordinária Do Meio Ambiente Dos Recursos Hídricos E Minerais Da Paraíba - SEMARH. 2016. Plano Estadual de Recursos Hídricos da Paraíba-PERH-PB. Resumo Executivo e Atlas. João Pessoa.

Shibatta O A, Orsi M L, Bennemann S T, Silva-Souza A T. 2002. Diversidade e distribuição de peixes na bacia do rio Tibagi, pp. 403-423.

Starling F, Lazzaro X, Cavalcanti C, Moreira R. 2002. Contribution of omnivorous tilapia to eutrophication of a shallow tropical reservoir: evidence from a fish kill. Freshwater Biology, 47: 2443-2452.

Tabarelli M, Pinto L P, Silva J M C, Hirota M M, Bedê L C. 2005. Desafios e oportunidades para a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica brasileira. Megadiversidade, 1(1), 132-138.

Torelli J, Rosa I L, Watanabe T. 1997. Ictiofauna do Rio Gramame, Paraíba, Brasil. Iheringia, sér. Zool., 82:67-73.

Publicado
2019-05-23
Seção
Artigos