Inventário in situ como método para avaliação da extração de recursos madeireiros na Caatinga: estudo de caso no município de Cabaceiras (Paraíba, Brasil)

  • José Ribamar de Farias Lima
  • Gleicy Deise Santos Lima
  • Camilla Marques de Lucena
  • Thamires Kelly Nunes Carvalho
  • Reinaldo Farias Paiva de Lucena

Resumo

A utilização de madeira é uma das principais atividades humanas. O objetivo deste trabalho foi identificar os usos de recursos vegetais em uma comunidade rural do semiárido do Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil, assim como seu de padrão de renovação. Foram realizadas visitas mensais (61 residências), durante 12 meses, havendo registro dos itens presentes e nos locais em que os informantes desenvolvem suas atividades. Foi verificado o uso de 86 espécies, organizadas e categorias de acordo com o uso. As espécies nativas mais utilizadas foram o pereiro (Aspidosperma pyrifolium Mart.) e o marmeleiro (Croton blanchetianus Baill.), usadas principalmente na construção de cercas, e exótica, a algaroba (Prosopis juliflora (Sw.) DC.).  Ao todo 16 espécies são utilizadas para fins tecnológicos, sem renovação de estoque, ao contrário do uso combustível, com ênfase na aroeira (Myracrodruon urundeuva Allemão), catingueira (Poincianella pyramidalis Tul.) e jurema preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir.) e P. juliflora. Nas construções rurais a extração mensal foi de A. pyrifolium e de C. blanchetianus. Esses dados indicam a necessidade de políticas de conservação que visem a manutenção da biodiversidade e a cultura local.

Publicado
2019-05-23
Seção
Artigos