Uma coleção ictiológica proveniente de atividade pesqueira da sociedade Awá-Guajá do estado do Maranhão

Autores

  • Artur Chahud Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Departamento de Genética e Biologia Evolutiva, Laboratório de estudos evolutivos e humanos
  • Mercedes Okumura Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2236-1480.2020v28n1.53292

Resumo

Os Awá-Guajá representam um dos últimos povos caçadores-coletores do mundo e atualmente vivem em reservas indígenas localizadas ao noroeste do Estado do Maranhão, Brasil. A “Coleção Etnográfica Guajá” é uma coleção de remanescentes faunísticos oriundos de uma escavação das lixeiras dessa sociedade acumuladas ao longo de três anos, no período de 1987 a 1990. O material osteológico coletado inclui grande quantidade de vertebrados terrestres e de restos de peixes, estes últimos são resultado de atividades pesqueiras desse grupo. Observando que os Awá-Guajá possuíam pouca ou nenhuma predileção clara por determinada espécie, o material coletado pode acrescentar importantes informações ecológicas e da biodiversidade da Amazônia da época. Além disso, por ser uma comunidade tradicional o conhecimento obtido poderá auxiliar no esclarecimento de depósitos ictiológicos em sítios arqueológicos antigos encontrados no interior do Brasil e próximos a sistemas fluviais. 

Biografia do Autor

Artur Chahud, Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Departamento de Genética e Biologia Evolutiva, Laboratório de estudos evolutivos e humanos

Geólogo, Paleontólogo e zooarqueologo com especialidade em vertebrados. Mamíferos e peixes

Downloads

Publicado

2021-02-27