Morfoanatomia da raiz de Arabidopsis thaliana submetida à cumarina (1,2- benzopirona)

Autores

  • Lívia Maria de Lima Santos Universidade Federal de Lavras
  • Adenilson Henrique Gonçalves Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2236-1480.2020v28n1.54792

Resumo

Cumarinas podem alterar a germinação e o desenvolvimento das espécies receptoras, em ambientes naturais ou controlados. Objetivou-se identificar o efeito da cumarina na Germinação Total (GT (%), Velocidade Média da Germinação (S), Velocidade de Germinação Acumulada (AS) e Comprimento Total da Raiz (CTR), bem como o efeito cumulativo da cumarina sobre a morfoanatomia da raiz de Arabidopsis thaliana ao longo do tempo (7 e 14 dias). As sementes foram cultivadas em placas de Petri quadradas, contendo ágar e concentrações de cumarina compondo a curva dose-resposta (0; 1,5; 3,0; 6,0; 12 e 24 µM). A cumarina foi diluída previamente em etanol. Como controle, etanol acrescido ao ágar. Após determinar o IC50 (14 µM), sementes de A. thaliana foram cultivadas durante 7 e 14 dias. Posteriormente, foram realizados cortes (0,7 μm) dos ápices radiculares e corados com azul de toluidina. A inibição da germinação foi dose-dependente, ou seja, quanto maior a concentração de cumarina maior foi a inibição da germinação. Na maior concentração a germinação foi de 40%, AS e S foi de apenas 37% e o comprimento total  das plântulas reduziu 66%. O IC50 induziu o espessamento do ápice radicular, principalmente aos 14 dias de cultivo, aumento de pelos radiculares, surgimento de raízes ectópicas e núcleos assimétricos nas celulas.

Biografia do Autor

Adenilson Henrique Gonçalves , Universidade Federal de Lavras

ossui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (1994), Mestrado em Ciência de Plantas Daninhas pela Universidade Federal de Lavras em 1997 e Doutorado também em Ciência de Plantas Daninhas pela UFLA em 2002. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Controle de Plantas Daninhas nas culturas de milho e feijão, efeito residual de herbicidas em solos e deriva de herbicidas em diversas culturas agrícolas. Atuou como Professor em Agronomia pelo CESEP Centro Superior de Ensino e Pesquisa de Machado MG da Fundação Educacional de Machado (FEM), lecionando às disciplinas: Manejo de Plantas Invasoras; Cereais (Arroz e Trigo); Estatística Experimental; Cafeicultura; Melhoramento de Plantas e Cana, Milho e Sorgo. Também atuou como Professor Pesquisador nos cursos de Agronomia e Engenharia Ambiental da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP), lecionando as disciplinas: Botânica; Plantas Medicinais; Defensivos Agrícolas; Olericultura; Café e Algodão; Arroz, Trigo e Mandioca; Ecologia; Manejo Integrado de Plantas Cultivadas; Princípios de Desenvolvimento Sustentável e Manejo Agrícola do Solo. Atualmente é Professor Adjunto IV do Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras (UFLA) na área de Ciência de Plantas Daninhas, docente Permanente do Curso de Graduação em Agronomia/Fitotecnia, membro do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares e Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.

Downloads

Publicado

2021-03-25