O QUE É SER FLEXÍVEL NA NOVA CONFIGURAÇÃO DO TRABALHO? OS QUADROS SUPERIORES DE TI E A FLEXIBILIDADE NA GESTÃO DA EMPRESA, NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E NAS RELAÇÕES DE TRABALHO

  • Thays Wolfarth Mossi
  • Cinara Lerrer Rosenfield

Resumo

As empresas de TI já nascem flexíveis, descentralizadas e estruturadas sob forma de projetos, daí sua representatividade para se compreender os novos formatos que o trabalho assume atualmente. Os quadros superiores de empresas de TI personificam o novo ideal de trabalho e de trabalhador. O objetivo deste estudo é apreender a atividade de construção de sentido e da subjetividade desses atores diante das problemáticas relacionadas à flexibilidade presente no trabalho por projetos. Nosso argumento é o de que as duas vertentes da flexibilidade — a positiva e a negativa — combinam-se na configuração do trabalho e nas vivências dos quadros superiores de TI. Características da flexibilidade em sua vertente positiva estão acompanhadas das consequências, especialmente em termos de construção de sentido e subjetividade do ator, daquela flexibilidade que é associada à precarização. Para demonstrar esse argumento, analisar-se-á a flexibilidade em três dimensões: i) gestão da empresa; ii) organização do trabalho; e iii) relações de trabalho.