A IMPORTÂNCIA DO ECOSSISTEMA EMPREENDEDOR PARA A ECONOMIA SOCIAL E SOLIDÁRIA (ESS): AVANÇOS, RETROCESSOS E DESAFIOS ATUAIS DO INCUNÁBULO NO BRASIL

  • Leandro Pereira Morais UNESP - ARARAQUARA
  • Miguel Juan Bacic UNICAMP

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o estado da arte da construção do “ecossistema empreendedor” para a Economia Social e Solidária (ESS), visto que a formação de tal “ecossistema” é a peça fundamental para a emancipação e para o fortalecimento dos Empreendimentos Econômicos Solidários (EES). Sabe-se que a construção do ecossistema empreendedor solidário constitui-se uma tarefa complexa e marcada por inúmeros desafios, sobretudo quando se alia a esta construção, algumas fragilidades estruturais dos EES inerentes ao seu modus operandi. Para tal, o artigo se estrutura da seguinte forma: após a Introdução, discutiremos, no tópico 2, alguns aspectos do processo empreendedor, para posteriormente (tópico 3), apresentar a ideia da “hélice tripla”. Em seguida, o tópico 4 abordará o constructo ecossistêmico empreendedor para a ESS em alguns países, finalizando com algumas considerações sobre o caso brasileiro (tópico 5).

Referências

BACIC, M. Da oportunidade de pensar no desenvolvimento de um ecossistema empreendedor para os empreendimentos de economia solidária em América Latina. Publicações da 4ª Academia Internacional sobre Economia Social e Solidária da OIT – Campinas, 2014. ILO, Genebra.

BAJO, C. Research on cooperatives in Latin America, an overview of the state of the art and contributions. In: Review of International Co-operation. International Co-Operative Alliance, volume 104, p. 3-13, 2017.

BRÄNNBACK, M.; CARSRUD, A.; KRUEGER Jr, N.; ELFVING,J. Challenging the triple helix model of regional innovation systems: A venture-centric model. International Journal of Technoentrepreneurship, v.1, n. 3, p.257–277, 2008.

COHEN, B. Sustainable Valey Entrepreneurial Ecosystems, Business Strategy and the Environment., vol. 15 (1), 1-14, 2006.

COMISSÃO EUROPEIA. Social enterprises and their eco-systems: developments in Europe. Luxemburgo, 2016. Disponível em: http://europa.eu/.

GAIGER, L. A dimensão empreendedora da economia solidária: Notas para um debate necessário. Outra Economia – V. II - Nº 3 - 2º, 2008. http://revistas.unisinos.br/index.php/otraeconomia/article/view/1145

GAIGER, L. (Org). A Economia Solidária no Brasil: uma análise de dados nacionais. Editora OIKOS, 2014.

ICAZA, A . Status, advancements, ans challenges for the research on cooperatives in Brazil. In: Review of International Co-operation. International Co-Operative Alliance, volume 104, p. 25-32, 2017.

KANTIS, H. Surgimiento y desarrollo de ecosistemas: una Mirada evolutiva sobre dos casos emblemáticos. In: Programa de Desarrollo Emprendedor (PRODEM). Brief no. 1, Parte A, setembro de 2017.

KIM, Y.; JUNG, T. Status of Social Economy Development in Seoul: a Case Study of SeouI. GSEF Social Economy Policy Guidebook - Seoul Metropolitan Government, 2016.

LEMOS, P. As Universidades de Pesquisa e a Gestão Estratégica do Empreendedorismo – Uma proposta de metodologia de análise de ecossistemas. Campinas: Instituto de Geociências – UNICAMP (Tese de Doutorado), 2011.

MONZON, J.; CHAVES, R. (org). Recent evolutions of the Social Economy in European Union. In: European Economic and Social Committee and CIRIEC-International – Centre international de recherches et d'information sur l'économie publique, sociale et cooperative. Bruxelas, 2017.

MORAIS, L. As políticas públicas de Economia Solidária (ESOL): avanços e limites para a inserção sociolaboral dos grupos-problema. Campinas: IE-UNICAMP (Tese de Doutorado), 2013.

MORAIS, L.P.; BACIC, M. J. Redes de Economia Solidária e a relevância do ecossistema empreendedor solidário. In: V Simpósio Internacional Desigualdades, Direitos e Políticas Públicas e I Conferência Internacional RILESS-EMES: Economia Solidária e Empresas Sociais. UNISINOS, 2016.

SERRANO, S. Economía social y solidaria: una propuesta para un ecosistema más complejo. In: Información Estadística y Cartográfica de Andalucía. España, no. 5, p. 172-178, 2015

SPILLING, H. The Entrepreneurial system: on entrepreneurship in the context of a mega-event. Journal of Business Research, 36, p. 91-103, 1996.

VUOTTO, M. Content and scope of research on cooperatives: the performance of the Latin American Network of researchers on cooperatives. In: Review of International Co-operation. International Co-Operative Alliance, volume 104, p. 14-25, 2017.

Publicado
2019-08-20