[1]
M. S. M. NOGUEIRA, “Mística feminina – escrita e transgressão”, Graphos, vol. 17, nº 2, p. 91-102, jan. 2016.