Vazio Existencial e o Abuso do Álcool: Contribuições da Logoterapia

  • Laura Boletta Marques Universidade Federal do Paraná
  • Adriano Furtado Holanda Universidade Federal do Paraná
  • Carlos Augusto Serbena Universidade Federal do Paraná

Resumo

O presente estudo correlaciona o sentimento de vazio existencial, como proposto pela Logoterapia, e o abuso do álcool. Para tanto foram aplicados os questionários CAGE, para a identificação da presença do uso/abuso do álcool, e o Questionário Sentido da Vida (QSV), mensurando o grau de realização com a vida. A bibliografia relaciona a dependência química com o baixo grau de satisfação pessoal, evidenciado pelo sentimento de vazio existencial, o que se confirmou na pesquisa. Neste estudo foi apontado o Alcoólicos Anônimos (AA) como importante norteador de sentidos em dependentes químicos, sendo que estes obtiveram um escore maior nos questionários referentes a busca de sentido e realização pessoal após as participações do grupo de AA. Palavras chave: Logoterapia; Dependência química; Vazio existencial; Alcoolismo.

Biografia do Autor

Adriano Furtado Holanda, Universidade Federal do Paraná
Psicólogo Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade de Brasília; Doutor em Psicologia pela PUC-Campinas (2002); Pós-Doutorado em Psicologia na Universidade de Brasília ; Professor Adjunto da Universidade Federal do Paraná; Membro fundador do Instituto de Gestalt Terapia de Brasília.
Carlos Augusto Serbena, Universidade Federal do Paraná
Psicólogo mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e doutorado interdisciplinar em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Paraná e professor colaborador do Mestrado em Psicologia da UFPR.
Publicado
2015-12-31
Seção
Estudos Empíricos