Interatividade na TV digital aberta:como entender o que o usuário pensa, precisa e quer

Autores

  • Maria Elizabeth Horn Pepulim Universidade Federal de Santa Catarina.
  • Francisco Antônio Pereira Fialho Universidade Federal de Santa Catarina.

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2012v7n1.14345

Resumo

Este artigo trata do usuário da TV digital, da importância de entendê-lo e respeitá-lo para então incluí-lo no processo de implementação da interatividade na TV digital aberta brasileira. Apresenta, alguns dados relativos a TV aberta no Brasil , uma reflexão sobre o modelo de negócios mais interessante para esta proposta de mudança de comportamento de populações e algumas reações adversas decorrentes da interatividade, já presente e utilizada através de muitas tecnologias. Coloca algumas considerações sobre o usuário, para então, entrar na problemática da importância da pesquisa de opinião vista sobre um novo paradigma, o de compreender realmente o usuário antes de qualquer direcionamento pretendido que diga respeito à construção de conteúdo interativo para TV digital aberta. A ideia apresentada para tentar viabilizar o alcance deste objetivo, é o uso do método hermenêutico apoiado em técnicas de psicanálise como apoio e complemento a pesquisa de opinião relacionada ao futuro usuário da interatividade na TV digital aberta. Palavras-chave: TV Digital aberta. Interatividade. Usuário. Pesquisa de opinião. Hermenêutica. Link para o texto completo (PDF) http://dgz.org.br/out11/Art_05.htm

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elizabeth Horn Pepulim, Universidade Federal de Santa Catarina.

Mestranda em Mídia e Conhecimento no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina.

Francisco Antônio Pereira Fialho, Universidade Federal de Santa Catarina.

Doutor em Engenharia de Produção. Coordenador da Área de Mídia e Conhecimento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina.

Publicado

2013-01-03

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos