O discurso televisivo da memória: plim plim

Autores

  • Evelyn Orrico Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2012v7n1.14936

Resumo

A televisão, parte integrante e fundamental de um sistema de comunicação de massa, ao mesmo tempo em que é resultado, é também fonte do universo simbólico do público a que se dirige. Sua grade de programação respeita, assim como provoca, o imaginário social de seu público, a partir do contexto histórico-social em que se manifesta. À luz de autores contemporâneos, este artigo discute aspectos da grade de programação do maior conglomerado televisivo brasileiro, como fonte de informação, especialmente voltada às atrações relativas à memória, procurando apontar para a construção de novas redes de sentido, concebidas pelo e no discurso televisivo. Reflexão eminentemente teórica, este artigo discute o impacto que tal programação provoca na construção do universo simbólico do povo brasileiro e consequentemente da memória desse grupo social na contemporaneidade. Palavras-chave: Discurso. Memória. Informação. Comunicação de massa. Televisão. Link para o texto completo (PDF) http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22400/14321

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evelyn Orrico, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Médica, Bacharel em Letras Português-Francês e Mestre em Linguística pela UFRJ. Doutora em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), no convênio estabelecido com a UFRJ.

Publicado

2013-01-03

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos