Transgramáticas: filosofia da Ciência da Informação, linguagem e realidade simbólica

Autores

  • Gustavo Silva Saldanha IBICT - UFRJ.

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2013v8n2.18629

Resumo

O trabalho procurou discutir a compreensão da Filosofia da Ciência da Informação a partir da noção de transgramáticas. Tendo a filosofia da linguagem como base reflexiva, a pesquisa se orientou pelo reconhecimento da Retórica e da Filologia como saberes fundacionais do campo informacional, em diálogo com o desenvolvimento da epistemologia da Bibliologia ao longo do século XIX. A partir do método da "apresentação panorâmica" de Ludwig Wittgenstein, tomando a organização dos saberes como espaço discursivo, no qual se apresentaram, no tempo, os discursos de cientificidade da Bibliologia, da Bibliografia, da Biblioteconomia, da Documentação e da Ciência da Informação, reconheceu-se o papel comum da crítica da linguagem no desenvolvimento da filosofia geral do campo. Como conclusões, constatou-se a centralidade de um imperativo mimético na Filosofia da Ciência da Informação, a relevância contemporânea de um modelo simbólico de apreensão da realidade e a permanência extemporânea de microgramáticas metadiscursivas, aqui tratadas como transgramáticas, ou seja, unidades da práxis reflexiva e aplicada do campo de estudos da informação. Palavras-chave: Transgramáticas. Linguagem. Filosofia. Ciência da Informação. Link par ao texto completo (PDF) http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/98/150

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Silva Saldanha, IBICT - UFRJ.

Doutor em Ciência da Informação pelo convênio IBICT - UFRJ.

Publicado

2014-03-29

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos