As articulações políticas na criação do Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (IBBD)

Autores

  • Eduardo Ismael Murguia Universidade Federal Fluminense.

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2013v8n2.18688

Resumo

O presente trabalho pretende descrever historicamente a trajetória das instituições, os atores e as práticas bibliográficas e documentárias no momento da criação do IBBD, propondo que essas trajetórias obedeceram a uma determinação política específica de validação científica e administrativa do século XX. A questão política não foi mero pano de fundo dos acontecimentos. Pelo contrário, tanto o IBBD como seu antecedente imediato, a Biblioteca do DASP, nasceram dentro de instituições com alta participação nas políticas administrativas e científicas. O trabalho se divide numa apresentação introdutória e delimitativa do tema, na qual são apresentados os princípios e hipóteses que nortearão a proposta. Outra parte insere a criação do DASP e sua biblioteca dentro das propostas modernizadoras da burocracia governamental no primeiro governo Vargas. E outra parte correspondente segundo governo Vargas, sob o qual as políticas eram influenciadas por órgãos internacionais que fomentavam o desenvolvimento de sistemas de difusão e pesquisas cientificas e tecnológicas, dando lugar ao IBBD. Palavras-chaves: Historia da ciência da informação no Brasil. Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (IBBD). Link para o texto completo (HTM) http://dgz.org.br/jun13/Art_04.htm

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Ismael Murguia, Universidade Federal Fluminense.

Pós doutor pelo Instituto Brasileiro de Informação e Ciêcnia e Tecnologia (2010). Professor da Universidade Federal Fluminense.

Publicado

2014-03-29

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos