Direito à informação governamental: questões acerca da positividade e legitimação de um direito fundamental

Autores

  • Emília Barroso Cruz Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2014v9n1.19598

Resumo

Resumo Neste artigo discutimos o direito à informação governamental como um direito fundamental, e seu processo de positivação no Brasil. O exercício do direito não está ligado apenas à promulgação de normas jurídicas, mas também ao reconhecimento ético do seu valor, por meio do debate público. No Brasil, onde este direito está positivado pela Constituição Federal desde 1988, não há indícios de percepção de legitimidade e validade dessas normas jurídicas pelos servidores Federais, de acordo com pesquisa realizada pela CGU/UNESCO[1]. Concluímos que as discussões sobre a implementação da Lei de Acesso à Informação podem possibilitar o debate e validação ética faltantes. Palavras-chave: Lei de Acesso à Informação. Direito à informação. Informação governamental. Legitimidade e validade do direito. Administração pública. Link para o texto completo (PDF) http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/580/425

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emília Barroso Cruz, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação do Instituto Brasileiro de Informação sobre Ciência e Tecnologia e Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Publicado

2014-06-24

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos