Produção Científica na Base de Dados Scopus: uma análise sobre a indústria criativa

Autores

  • Cristiano Max Pereira Pinheiro Universidade Feevale
  • Mauricio Barth Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2014v9n2.19990

Resumo

Buscando destacar o momento oportuno à compreensão do tema, este trabalho visa apresentar um mapeamento da produção científica no domínio da Indústria Criativa, através de uma proposta de mineração de textos científicos na base de dados Scopus, fundamentada em métodos bibliométricos. Para o desenvolvimento teórico da pesquisa, são utilizados autores como Howkins (2002), Deheinzelin (2011), Reis (2012), Prodanov e Freitas (2013), Hauenstein (2008), Vanti (2006), M. Hayashi, Faria e C. Hayashi (2013). Ao fim do estudo, destaca-se que, através dos critérios estabelecidos, o levantamento realizado apontou 933 publicações na área de Indústria Criativa. Ressalta-se, ainda, outros resultados quantitativos, analisados seguindo categorias com maior número de publicações, como: ano (2013), periódico (International Journal of Cultural Policy), autor (C. Gibson), instituição de ensino (Queensland University), país (Reino Unido) e área de assunto (Ciências Sociais).

Palavras-chave: Indústria Criativa. Bibliometria. Scopus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Max Pereira Pinheiro, Universidade Feevale

Doutorado em Comunicação Social (PUCRS); coordenador dos Cursos de Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda e professor do Mestrado em Indústria Criativa (Universidade Feevale).

Mauricio Barth, Universidade Feevale

Mestrado em Indústria Criativa; professor no Curso de Publicidade da Universidade Feevale.

Downloads

Publicado

2014-12-30

Edição

Seção

Pesquisas em andamento