Linguagens documentárias e a construção do pensamento crítico: reflexões sobre o tesauro para estudos de gênero e sobre a mulher

Autores

  • Miriam Gontijo de Moraes Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2014v9n2.22440

Resumo

Este trabalho se referencia no Tesauro para estudos de gênero e sobre mulheres. O objetivo da reflexão é relacionar os aportes das estratégias metodológicas na construção de SOCs, conforme literatura da área, e as contradições apresentadas na elaboração do presente instrumento em relação à sua natureza crítica. Como principal conclusão constata-se que a experiência de construir um Tesauro para estudos de gênero e sobre mulheres evidenciou a necessidade de uma linguagem documentária no campo da crítica feminista, mas ainda permanecem entraves na representação do domínio. A estratégia top-down de construção da estrutura conceitual do Tesauro para estudos de gênero e sobre mulheres resultou na estruturação do mesmo em nove categorias temáticas, contrastando a perspectiva crítica de representação de um novo campo de conhecimento, e reproduzindo o modelo hierárquico do conhecimento científico vigente. De acordo com a literatura, o enfoque bottom-up seria o mais apropriado para uma abordagem crítica do conhecimento que se pauta por não repetir esquemas hegemônicos de representação, e a reflexão aqui proposta avança no sentido de agregar à metodologia bottom-up o conceito de comunidades de prática para operacionalizar SOCs críticos e participativos.

Palavras-chave: SOC. Abordagem Crítica. Participação. Comunidades de Prática.

 

Link para o texto completo (PDF)

http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/142

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriam Gontijo de Moraes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Doutora em Ciência da Informação. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Publicado

2014-12-30

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos