O indivíduo e o ambiente organizacional favorável à criação de novos conhecimentos

  • Elisabeth Vargas de Carvalho Braga Universidade Santa Úrsula, Brasil.
  • Alessandro de Magalhães Gemino Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Resumo

A proposta deste estudo é apoiar as empresas na identificação das condições capacitadoras para se criar novos conhecimentos em seu ambiente organizacional. Busca saber quais condições, para se criar novos conhecimentos, precisam ser aperfeiçoadas. Este estudo foi suportado por uma pesquisa empírica com instrumentos que replicam um modelo de criação de conhecimentos na empresa. Foram escolhidas três empresas com estruturas organizacionais distintas e, para realizar a identificação de ambientes favoráveis à criação de novos conhecimentos, foram utilizadas entrevistas presenciais com a alta direção e, aplicado questionário intitulado “Avaliação do Ambiente Favorável à Criação do Conhecimento” junto aos colaboradores da média gerência. Baseado nos questionários respondidos foi possível identificar o patamar de gestão do conhecimento que cada empresa encontrava-se no momento do levantamento. Foram considerados os aparatos culturais observados, o que também contribuiu para constatar que a existência de um ambiente favorável à criação de conhecimentos organizacionais constituem os estímulos para a inovação contínua, assim como também a ausência deste funciona como obstáculo a existência desta mesma criatividade. Porém, cabe questionar, qual seria o ambiente favorável para qual empresa? Há que se pesquisar, há que se considerar a necessidade de valorizar as peculiaridades do negócio e a subjetividade dos indivíduos que compõem a empresa.

Palavras-chave: Gestão do conhecimento organizacional. Indivíduo – criação do conhecimento. Metodologia – Avaliação de Empresas.

Link:http://periodicos.ufpb.br/index.php/pgc/article/view/32892/17299

Biografia do Autor

Elisabeth Vargas de Carvalho Braga, Universidade Santa Úrsula, Brasil.
Especialista em Gestão do Conhecimento pela Universidade Santa Úrsula, Brasil.
Alessandro de Magalhães Gemino, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
Doutor em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense, Brasil. Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
Publicado
2017-10-23
Seção
Resumos de artigos científicos