Da informática à tecnologia da informação: dependência, reserva de mercado e suas implicações político-econômicas

Autores

  • Ronaldo Ferreira de Araújo UFAL
  • Marlene Oliveira UFMG'

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2018v13n1.39217

Resumo

Nos rumos da evolução do componente tecnológico na contemporaneidade, a reconhecida era da informação e sua correspondente sociedade da informação já foram também consideradas era da informática e, por sua vez, sociedade da informática. Com o passar do tempo, disciplinas comumente associadas à aplicação da ciência da computação, em conjunto com outros campos de conhecimento, perderam sua alcunha coletiva consagrada, a informática, por um novo termo, o da tecnologia da informação. O artigo discorre sobre o percurso da informática à noção de tecnologia da informação, e reúne, brevemente, elementos que identificam o componente tecnológico, localizados em aspectos políticos, econômicos e sociais do país, para então compreender as implicações dos caminhos tomados. A informática no Brasil é retratada em seus aspectos históricos de dependência e reserva de mercado, abordando-se as implicações políticas dessa postura. As descontinuidades dos programas e governos apontam para uma tímida (ou mesmo inexistente) política nacional de tecnologia da informação no país, e colocam ao centro o aspecto econômico em detrimento dos demais.

Palavras-chave: Informática. Tecnologia da Informação. Política Nacional de Informática.

Link: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3941/3395 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo Ferreira de Araújo, UFAL

Doutor em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais. Professor adjunto do curso de Biblioteconomia, Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes da Universidade Federal de Alagoas.

Marlene Oliveira, UFMG'

Doutora em Ciência da Informação, Universidade de Brasília. Professora associada II, Programa de Pós-Graduação em Organização e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação.

Publicado

2018-05-07

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos