Pensamentos sobre a vivência da privacidade no Facebook

Autores

  • Eliane Cristina de Freitas Rocha Escola de Ciência da Informação da UFMG
  • Camila de Fátima Pereira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2018v13n1.39259

Resumo

Este artigo aborda a privacidade no Facebook por meio de discussões teóricas e filosóficas (com destaque para Arendt, Huizinga e Bauman), e por análise de dados empíricos coletados entre usuários da ferramenta por questionários e entrevistas. A empresa Facebook tem amplo acesso aos dados publicados pelos usuários, mas não os compartilha de maneira individualizada. Usuários adotam medidas contraditórias para protegerem sua privacidade: embora eles queiram preservar a intimidade por meio de autocensura, eles não são conscientes do uso que o Facebook faz de seus dados e não têm absoluto controle da visibilidade de seus perfis e postagens.

Palavras-chave: Facebook. Privacidade. Visibilidade.

Link: https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/39218/24685

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Cristina de Freitas Rocha, Escola de Ciência da Informação da UFMG

Professora da Escola de Ciência da Informação da UFMG. Doutora em Ciência da Informação (UFMG) e Mestra em Comunicação Social (UFMG).

Camila de Fátima Pereira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Bacharel em Sistemas de Informação, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Publicado

2018-05-07

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos