Fontes orais de informação como recurso de ensino e aprendizagem

Autores

  • Maria José Sandra de Araujo Terciotti UEL
  • Sueli Bortolin UEL

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2018v13n1.39366

Resumo

Introdução: As fontes orais de informação têm como base a voz humana. Propõe-se neste trabalho que elas sejam utilizadas como recurso de ensino e aprendizagem na escola, em especial na biblioteca escolar. Objetivo: Identificar as fontes orais para o ensino e aprendizagem na biblioteca escolar. Metodologia: A investigação tem natureza qualitativa e utiliza como técnica a pesquisa bibliográfica.  Resultados: A biblioteca escolar como instituição social precisa valorizar e incluir as fontes orais em seu acervo para enriquecer o ensino e a aprendizagem na escola. Conclusões: As fontes orais utilizadas de forma presencial ou à distância são fundamentais para levar os aprendentes, em especial da atual geração, a se apropriar de conteúdos apresentados em sala de aula, bem como de outros que possam suprir suas necessidades de informação.  

Palavras-chave: Fontes orais. Oralidade. Fontes audiovisuais. Recursos de aprendizagem. Biblioteca escolar.

Link: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/infoprof/article/view/29183/22360

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José Sandra de Araujo Terciotti, UEL

Especialista em Gestão de Biblioteca Escolar.

Sueli Bortolin, UEL

Doutora em Ciência da Informação. Docente do PPGCI – UEL

Publicado

2018-06-28

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos