BIBLIOTECAS PÚBLICAS DO RIO GRANDE DO SUL E O PATRIMÔNIO EDIFICADO: VALOR, NO FUNDO, SIMBÓLICO

  • Marcia Heloisa Tavares Figueredo Lima Federal do Rio Grande do Sul;
  • Luciana Prestes Vicente

Resumo

Averigua se os bibliotecários ou funcionários responsáveis por bibliotecas públicas estabelecidas em edificações consideradas patrimônios culturais localizadas no Rio Grande do Sul enunciam e demonstram através de práticas a valorização das suas respectivas edificações. Apresenta o conceito de patrimônio cultural com base em bibliografia. Discorre sobre como se dá a atribuição de valor e pontua memória e identidade como elementos constituintes da valoração. Pesquisa a valoração e a divulgação que o patrimônio edificado recebe nas bibliotecas públicas por meio de entrevistas semiestruturadas com três bibliotecárias-chefes e por observações sistemáticas dos seus espaços físicos e dos seus ambientes virtuais. Conclui que a valorização simbólica e a divulgação discursiva do patrimônio edificado são parciais, devido à falta de manutenção material das edificações, o que denota a falta de investimento financeiro do poder público por parte do Governo dos municípios do Estado do Rio Grande do Sul.

Palavras-chave: Patrimônio Cultural Edificado. Atribuição de Valor. Memória. Identidade. Bibliotecas Públicas.

Link: revista.ibict.br/p2p/article/view/4204/3608

Biografia do Autor

Marcia Heloisa Tavares Figueredo Lima, Federal do Rio Grande do Sul;
Doutora, Professora Adjunta Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Luciana Prestes Vicente
Jornalista e Bacharel em Biblioteconomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Porto Alegre, RS.
Publicado
2018-12-06
Seção
Resumos de artigos científicos