A arquivística brasileira e o modelo australiano do records continuum

Autores

  • Julianne Teixeira e Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Jonathan Alves dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2019v14n2.46118

Resumo

A partir da década de 1990 uma nova corrente teórica arquivística, Records Continuum (RC), surge na Austrália. O despontar do RC se dá a partir da necessidade de compreender os padrões arquivísticos frente a nova realidade dos documentos digitais. Amplamente discutido no cenário internacional, o Records Continuum, vem influenciando uma série de instrumentos normativos internacionais. Entretanto, no Brasil esta corrente é pouco difundida e estudada. Neste trabalho são apresentados resultados parciais de pesquisas de caráter teórico epistemológico, decorrente de projeto de Iniciação Científica, intitulado: “Arquivística brasileira e o modelo australiano do Records Continuum: uma análise teórica”, desenvolvido pela Universidade Federal da Paraíba,  o qual tem como objetivo ampliar conhecimentos sobre o Records Continuum e fomentar subsídios para discussões dessa nova temática no seio do campo arquivístico no Brasil, especialmente com a premente necessidade em lidar com os documentos arquivísticos digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julianne Teixeira e Silva, Universidade Federal da Paraíba

Professora do curso de Arquivologia do Departamento de Ciência da Informação - Universidade Federal da Paraíba, doutora em Ciência da Informação.

Jonathan Alves dos Santos

UFPB

Downloads

Publicado

2019-05-31

Edição

Seção

Pesquisas em andamento