Biblioteca da penitenciária de Florianópolis: um espaço sociocultural e educativo

Autores

  • Amabile Costa UDESC
  • Daniella Camara Pizarro UFSC
  • Camila Monteiro de Barros

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2019v14n2.46608

Resumo

Este trabalho versa sobre as manifestações de importância dos funcionários do complexo penitenciário de Florianópolis no que tange a sua Biblioteca. Utilizou-se um questionário para coleta e para análise dos dados optou-se pela análise de conteúdo de Bardin, com três categorias: Vivências e experiências nas bibliotecas, percepção em relação a biblioteca da Penitenciária de Florianópolis e papel social da biblioteca e atendimento as apenadas. Como resultados ressalta-se que os funcionários destacam a importância da Biblioteca tendo em vista a organização do seu acervo e o empréstimo de livros, possuem consciência de que a Biblioteca da Penitenciária de Florianópolis tem como público-alvo principal os reeducandos do Complexo e tem relevante papel educativo, social e cultural.Palavras-chave:Bibliotecas prisionais. Penitenciária - Florianópolis. Remição de pena.lINK: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1516

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amabile Costa, UDESC

Graduada em Biblioteconomia habilitação em Gestão da Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Mestranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). E mail: 

Daniella Camara Pizarro, UFSC

 Professora do Departamento de Biblioteconomia da Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC), coordenadora do Programa Novos Horizontes: a Universidade nos espaços de privação de liberdade. E mail:  

Camila Monteiro de Barros

Professora do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Publicado

2019-07-08

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos