Breve histórico da literatura infantil brasileira

Autores

  • Fernanda Martins D'Ávila UFSC
  • Clarice Fortkamp Caldin UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2019v14n2.46631

Resumo

Destacam-se quatro fases da literatura infantil no Brasil como reflexos da organização política, econômica e cultural de nosso país. A primeira fase, com as adaptações e traduções de obras europeias, com o intuito de importar o modo de vida, prática que gradativamente passa pela necessidade de identificar/forjar uma identidade e formas de valorização do estado nação, entrando assim no viés ideológico nacionalista e no patriotismo. A segunda fase, expressando uma ruptura de paradigmas trazida por Monteiro Lobato que reflete as mudanças culturais na sociedade. Uma terceira fase pautada em mais liberdade e novas experiências, impostas tanto pelas novas concepções da pedagogia e da educação, como pelas exigências da sociedade e incorporações das novas tecnologias. E a quarta fase que expressa a ruptura com a literatura infantil apenas como recurso pedagógico. A literatura infantil passa a ser vista, desde então, como algo lúdico, catártico e libertador, plena dos encantos da imagética, mas também preparando as crianças para o mundo em que a diversidade e a alteridade passam a fazer parte do cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-07-09

Edição

Seção

Pesquisas em andamento