Pastor Silas Malafaia e o uso estratégico das mídias digitais: o novo púlpito religioso no cotidiano midiatizado

Autores

  • Larissa de Oliveira Cesar Universidade Federal Fluminense
  • Patrícia Gonçalves Saldanha Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2019v14n3.47894

Resumo

Para compreender a tensão entre os conceitos de líder de opinião, desde sua formulação até a noção de influenciador digital na contemporaneidade, parte-se do pressuposto que a midiatização atravessa a vida cotidiana e pode afetar, portanto, suas mediações estruturantes, atravessando pensamentos e consumos sociais, com ênfase na religião. O trabalho que fundamenta este artigo se dividiu em duas etapas: a primeira utilizou como metodologia a revisão bibliográfica, tendo como eixo teórico Lazarsfeld e Sodré, aliada à pesquisa documental; a segunda consistiu em realizar uma análise de abordagem qualitativa no Twitter do pastor Silas Malafaia com o auxílio da ferramenta online WordArt, a fim de compreender a sua atuação como líder de opinião nas mídias digitais no que concerne às questões de gênero. Como resultado, concluímos que o pastor Malafaia influenciou a opinião de seu público ao retransmitir e ressignificar conteúdos sobre as questões de gênero enquanto ‘ideologia de gênero’ por meio das mídias digitais.Palavras-chave: Líder de opinião; Midiatização; Influenciador digital; Gênero; Twitter; Mídias digitais; Religião.

Link: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/1564/2260

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa de Oliveira Cesar, Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, Laboratório de Investigação em Comunicação Comunitária e Publicidade Social. Niterói, RJ, Brasil.

Patrícia Gonçalves Saldanha, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Publicado

2019-09-09

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos