Big Data como fonte de inovação em museus: o estudo de caso do Museu Britânico

Autores

  • Fernanda Mota
  • Cátia Barbosa
  • Ricardo Barbosa

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2019v14n3.47989

Resumo

No cenário contemporâneo, os museus têm seus processos influenciados pelas transformações digitais. Eles são centros informacionais que têm o desafio de coletar, organizar, processar, distribuir e analisar um volume exponencial de dados, em formatos diversos, obtidos de diferentes fontes. A utilização do Big Data em museus possibilita a gestão e análise de dados complexos, gerando informações estratégicas que dão embasamento à gestão institucional. A partir dessa perspectiva, tem-se como propósito pesquisar, através do método de estudo de caso, os processos de gestão e análise de dados do Museu Britânico. Este é o segundo museu mais visitado do mundo e tem como diretriz estratégica ser um museu para o cidadão global, amplamente acessível. É possível observar que o uso de Big Data, no caso estudado, é fonte de inovação, estimulando o desenvolvimento dos projetos ResearchSpace - espaço colaborativo de criação, gestão e compartilhamento de conhecimento; e The Museum of The World - plataforma virtual interativa.

Palavras-chave: Transformações Digitais. Big Data. Inovação. Museus. Museu Britânico.

https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/44005

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Mota

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em CIência da Informação da Universidade de Brasília.

Publicado

2019-09-09

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos