Ação coletiva política e luta por reconhecimento: a atuação da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (ABRAFH) na defesa de outras modalidades de famílias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.0vn0.53044

Resumo

A Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (Abrafh) é uma entidade que luta pelo reconhecimento das populações cujo núcleo é formado por sujeitos LGBTQIA+. A instituição busca representar os anseios e expectativas dessas famílias em diferentes âmbitos sociais, assim como combater os desrespeitos e preconceitos advindos de um sistema heterossexista. Este trabalho busca compreender como a Abrafh mobiliza as dimensões do afeto e da solidariedade na luta política. Para isso, entrevistamos quatro representantes do primeiro conselho diretor. Por meio de uma análise qualitativa de conteúdo discursivo, pudemos compreender que a Abrafh, segundo os diretores, surge para acolher, defender e representar as famílias homoafetivas no sentido de tornar estes cidadãos emancipados e com direitos reconhecidos. Conclui-se que a instituição atua principalmente a partir da possibilidade de responder satisfatoriamente à necessidade que os sujeitos têm de desenvolverem conexões baseadas na confiança afetiva na continuidade da dedicação mútua.

Palavras-chave: Homoafetividade.Famílias.Luta por reconhecimento.

Link: http://revista.ibict.br/fiinf/article/view/4851

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elias Santos Serejo, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutorando do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará. Jornalista, mestre em Comunicação, Linguagem e Cultura pela Universidade da Amazônia. Bolsista Capes.

Danila Cal, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Docente do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará. Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Leandro Rodrigues Lage, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Docente do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará. Doutor em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Publicado

2020-06-30

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos