Ressignificação da memória da cidade do Recife nas letras de frevo do maestro Nelson Ferreira

Autores

  • Renata Jeane de Santana Universidade Federal de Pernambuco
  • Fabio Assis Pinho Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.0vn0.53554

Resumo

O tema deste artigo aborda as letras de frevo como documento e sua relação com a memória social e afetiva; por isso, trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório e documental cujo objetivo principal foi considerar, a partir das letras de frevo do maestro pernambucano Nelson Ferreira, a relevância da informação musical para a reconstituição da memória da cidade do Recife. Para tanto, estabeleceu-se como corpus as letras de frevo-canção e frevo de bloco do músico, gravadas nas duas coletâneas da extinta fábrica de discos Rozenblit: O que eu fiz e você gostou... de 1959 e O que faltou e você pediu... de 1968, adotando como método a avaliação qualitativa da Análise de Conteúdo. Assim, os 39 frevos demonstraram, por meio de quatro categorias temáticas, que as letras são um produto de seu tempo, mas que também são um produto do olhar e da experiência de um homem em sua época, a qual, a partir do fenômeno da reprodutibilidade da informação, foi então massificada e perpetuada por quase 100 anos, repetindo-se por meio das narrativas das canções que, ao serem tocadas, ativam essa memória, trazendo-a para o presente e diluindo a memória individual de cada um, criando vínculos sonoros.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Memória social. Memória afetiva. Lugar de memória. Representação. Música popular.

Link: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/89974

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-06-26

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos