Arquitetura para publicação de dados sobre biodiversidade em instituições de pesquisa

  • Eduardo Couto Dalcin Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro http://orcid.org/0000-0002-4661-0272
  • João Lanna Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
  • Natália Queiroz Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
  • Rafaela Campostrini Forzza Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Resumo

Desde a Declaração de Berlin sobre o Acesso Aberto ao Conhecimento em Ciências e Humanidades, publicada em 2003, a demanda por uma “ciência aberta” cuja preocupação primordial é tornar a atividade de pesquisa mais transparente, mais cola­borativa e mais eficiente, tem crescido na comunidade acadêmica. Aliado a isso, vem se consolidando a  percepção de que o acesso e compartilhamento de dados de pesquisa contribui de forma significativa para que a ciência avance e  maximize os investimentos aplicados em programas de pesquisa. Neste sentido este estudo apresenta uma proposta composta de repositórios digitais e ferramentas computacionais voltadas para publicação e compartilhamento de recursos de informação em institutos de pesquisa. A arquitetura proposta, baseada em ferramentas livres e de código aberto mostrou-se adequada à gestão e publicação de recursos de informação em instituições de pesquisa. Porém, esta abordagem apontou a necessidade de uma ferramenta de busca que integre as diferentes ferramentas, assim como da existência de um vocabulário controlado, capaz de indexar os recursos em seus diferentes contextos.

Palavras-chave: Dados Abertos.Ciência Aberta.Publicação de Dados Científicos.

Link: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/4740

Biografia do Autor

Eduardo Couto Dalcin, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Doutor em Informática aplicada à Biodiversidade pela Universidade de Southampton, no Reino Unido. Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 
João Lanna, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Mestre em Ecologia pela Universidade Federal de Ouro Preto - MG. Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Natália Queiroz, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Mestre em Sistemas e Computação pelo Instituto Militar de Engenharia. Instituição: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Rafaela Campostrini Forzza, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Doutora em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade de São Paulo. Instituição: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Publicado
2020-09-11
Seção
Resumos de artigos científicos