Da extroversão dos acervos aos novos potenciais de análise da informação em processos de abertura de dados: em foco a documentação do acervo museológico do Museu do Índio/FUNAI

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar a investigação efetuada a partir de objetos digitais, mais propriamente coleções digitais, procurando conceituar como compreende ciência aberta no contexto da pesquisa sobre os acervos museológicos de uma importante instituição, como o Museu do Índio. Utilizando-se de particularidades da ferramenta Tainacan aplicada pelo Museu do Índio para a disponibilização de seu acervo, de forma a efetuar a coleta de dados que tem grande representatividade no que diz respeito a um acervo museológico, a partir dessa coleta, foi possível representar os dados a partir do uso de métodos correlatos a análise de redes sociais (ARS), o que possibilita uma análise visual das informações obtidas e uma boa representatividade das correlações percebidas entre os diferentes aspectos do acervo.

Palavras-chave: Museu do Índio.Ciência Aberta.Tainacan.Análise de Redes Sociais.

Link: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/4765

Biografia do Autor

Eduardo Alves Silva, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Mestrando em Gestão da Informação pela NOVA Information Management School (NOVA IMS), Universidade Nova de Lisboa (UNL) e pesquisador do projeto Tainacan – Acervos Digitais em Rede da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Dalton Lopes Martins, Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo. Professor do curso de graduação de Biblioteconomia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília (UnB).

Publicado
2020-09-11
Seção
Resumos de artigos científicos