Governança compartilhada para redes interorganizacionais de segurança pública: o case da paralisação dos caminhoneiros 2018

Resumo

O contexto da sociedade do conhecimento tem emergido a efetividade das Redes Interorganizacionais como estratégia para dar conta da crescente complexidade do ambiente organizacional. Para resultados efetivos essas Redes Interorganizacionais necessitam de uma governança que permita o alcance dos objetivos comuns, o que demanda o estabelecimento de mecanismos adequados Em um país cujo modal rodoviário é responsável por 80% da movimentação das riquezas, a paralização dos caminhoneiros em 2018 demandou articulação entre diversas organizações de segurança pública para atuar nesta situação complexa. Este artigo tem como objetivo analisar a influência dos mecanismos de governança das Redes Interorganizacionais para a melhoria da atuação da segurança pública em situações complexas. A análise do relatório produzido pelo Comitê de Crise da PRF durante o movimento sinaliza a necessidade da formação de uma Rede Interorganizacional na segurança pública, a fim de uma atuação mais efetiva nas diversas situações complexas que envolvem este setor.

Palavras-chave: Redes Interorganizacionais. Governança compartilhada. Segurança Pública. Greve dos caminhoneiros.

Link: http://revista.ibict.br/p2p/article/view/5157

Biografia do Autor

Djairlon Henrique Moura, Polícia Rodoviária Federal

Chefe da Seção de Operações da Superintendência Regional no Rio Grande do Norte. Polícia Rodoviária Federal.

Patricia de Sá Freire, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora Doutora do Departamento de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina.

Fernanda Kempner Kempner-Moreira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (EGC/UFSC).

Publicado
2020-09-11
Seção
Resumos de artigos científicos