A preservação do patrimônio cultural maçônico a partir de coleções e museus

Autores

  • Raniel da Conceição Fernandes Universidade de Brasília
  • Maria Margaret Lopes

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n4.55981

Resumo

As organizações de caráter maçônico preservam um conjunto de bens culturais que possibilitam a compreensão da instituição e de sua trajetória histórica. Alguns desses espaços abrigam museus, havendo também coleções maçônicas preservadas em museus históricos em geral. Porém, tais coleções e museus carecem de estudos que analisem sua história e representação. Este trabalho apresenta um levantamento das instituições culturais brasileiras que preservam objetos e coleções relacionadas à maçonaria. O estudo de caráter exploratório desenvolve-se a partir levantamentos bibliográficos e documentais, associado a pesquisas em bases de dados sobre museus e acervos museológicos, além de consultas aos setores de documentação museológica. De modo geral, o estudo apresenta uma contextualização da maçonaria, observando aspectos conceituais e históricos; uma caracterização das coleções maçônicas e, por fim, o levantamento das principais instituições detentoras de acervos maçônicos em nível nacional e internacional. Observa-se, por conseguinte, que os acervos históricos relacionados à maçonaria estão preservados em instituições geridas pela maçonaria, havendo também coleções presentes em instituições museais de história em geral, como os museus nacionais e que trata-se de um campo de investigação ainda a ser explorado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raniel da Conceição Fernandes, Universidade de Brasília

Bacharel em Museologia pela Universidade de Brasília (2013), pós-graduado em Museografia e Patrimônio Cultural pelo Claretiano Centro Universitário (Batatais/SP) e mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília/UnB (2019), na linha de pesquisa Organização da Informação, no projeto Museus, coleções, atores: história e perspectivas futuras. Museólogo responsável pelo Museu Maçônico Ariovaldo Vulcano (2015 a 2018), tendo experiência nas áreas de documentação e pesquisa de acervos e conservação preventiva. Atualmente é museólogo da Casa da Cultura da América Latina da Universidade de Brasília.

Maria Margaret Lopes

Maria Margaret Lopes possui graduação em Geologia pela USP, Mestrado em Educação pela UNICAMP, Doutorado em História Social pela USP e Livre Docência em História das Ciências pela UNICAMP. Professora associada MS-5 do Instituto de Geociências da UNICAMP de 1986 a 2009, é atualmente Bolsista PQ 1-C do CNPq e pesquisadora colaboradora senior do Programa de Pós-Graduação de Ciências da Informação da UnB e orientadora plena do Programa Interunidades em Museologia MAE-USP. A autora agradece ao CNPq o apoio a suas pesquisas.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Pesquisas em andamento