A carência de estudos sobre literatura infantil nos currículos de graduação de biblioteconomia no Brasil

Autores

  • Ana Paula Turatti da Cunha Universidade Federal de Santa Catarina
  • Clarice Fortkamp Caldin Universidade Federal de Santa Catarina. 
  • Eliana Maria dos Santos Bahia Jacintho Universidade Federal de Santa Catarina. 

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n4.56580

Resumo

A literatura infantil, que traz a leitura literária implícita no seu conceito, pode incitar ao usufruto do
conhecimento artístico, poético e contribuir para o conhecimento intelectual. A literatura infantil, promotora
da leitura por prazer, contribui para o desenvolvimento do leitor e de suas habilidades críticas. O
bibliotecário, especialmente o que trabalha em biblioteca escolar, infantil ou pública, ao exercer o papel de
mediador da informação, tem, como uma de suas funções, promover o diálogo com a criança-leitora a fim de
compreender e saciar os interesses de leitura desse público específico. Dessa forma, sua formação no curso
de graduação em biblioteconomia deve corresponder ao que o mercado de trabalho exige, tendo em vista que
suas responsabilidades sociais, e mesmo pessoais com cada leitor, serão requisitadas. O presente artigo
objetiva apontar como estão os currículos de graduação em biblioteconomia no Brasil em relação ao estudo
da literatura infantil. A metodologia utilizada é quali-quantitativa, de cunho exploratório e, de acordo com os
procedimentos técnicos, bibliográfica e documental. Os resultados apontaram que apenas 20% dos cursos de
biblioteconomia, todos em nível de bacharelado, ofertados na modalidade presencial, possuem em seus
currículos disciplinas que estudam a literatura infantil, e destes, a maioria encontra-se na região nordeste do
Brasil.


Palavras-chave: Literatura infantil. Biblioteconomia no Brasil-currículos. Leitura literária. Bibliotecário
como mediador da leitura.

 

Link: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1676

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Turatti da Cunha, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda em Ciência da Informação na Universidade Federal de Santa Catarina.

Clarice Fortkamp Caldin, Universidade Federal de Santa Catarina. 

Professora Dra. do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina. 

Eliana Maria dos Santos Bahia Jacintho, Universidade Federal de Santa Catarina. 

Professora Dra. do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina. 

Publicado

2020-12-22

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos