A disseminação de informação científica em escolas de governo como fator de inovação social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n4.56606

Resumo

Introdução: O desenvolvimento local e a inclusão social são fundamentalmente interligados à disseminação da informação científica como fator de inovação social. Nesse contexto, as Escolas de Governo devem se estruturar como espaços de trocas de conhecimentos críticos das relações de poder subjacentes no acesso ao conhecimento. Objetivo: Objetiva verificar a frequência da ocorrência de periódicos de acesso livre e de repositórios abertos, como instrumentos de disseminação de informação científica em Escolas de Governo do Ministério Público brasileiro, e analisar sua importância na transformação da realidade social sob a ótica da inovação social. Diferentes conceitos de inovação social foram abordados em diálogo com o papel formativo do Estado, por meio de suas Escolas de Governo e seus diferentes instrumentos de disseminação de informação científica. Metodologia: Consiste em estudo exploratório de natureza qualitativa, com coleta de dados por meio de pesquisa documental em repositórios abertos e portais corporativos das Escolas de Governo dos Ministérios Públicos no Brasil. Trata os dados por meio de tabulação da frequência da ocorrência dos instrumentos. Conclusão: Sugere que o número de Escolas de Governo que não possuem instrumentos de disseminação de informação científica aberta ainda é alto. Demonstra a relevância de políticas institucionais que fortaleçam as Escolas dos Ministérios Públicos, principalmente aquelas Escolas Institucionais, cujas estruturas administrativas integram as Instituições. Importante também a efetividade da busca dos repositórios e revistas que nem sempre são amigáveis com os usuários.

 

Palavras-chave: Inovação Social. Disseminação de Informação. Escola de Governo.

 

Link: https://revistas.ufpr.br/atoz/article/view/64675

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-12-27

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos