Discussões em torno dos arquivos pessoais face a teoria arquivística

Autores

  • Renato de Mattos Departamento de Ciência da Informação (GCI) Instituto de Artes e Comunicação Social (IACS) Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Adriana Arrojado Correia Pereira Programa de Pòs-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n4.56815

Resumo

Nas últimas décadas, os arquivos pessoais vêm assumindo um lugar de destaque no âmbito dos estudos arquivísticos. Com efeito, o crescente interesse que a temática desperta se fundamenta em suas especificidades teóricas e na potencialidade informacional que os seus acervos oferecem aos estudiosos de diversas áreas. Contudo, apesar de ocupar um importante espaço na Arquivologia, o tema dos arquivos pessoais ainda é objeto de controvérsias entre os pesquisadores da área. Com o objetivo de identificar parte das questões que os arquivos dessa natureza colocam à teoria arquivística, por meio da revisão da literatura, o artigo apresenta alguns dos olhares divergentes que hoje persistem sobre o estatuto arquivítico dos arquivos pessoais.

 

Palavras-chave: Arquivologia. Arquivos Pessoais. Teoria Arquivística.

 

Link: https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/8826

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato de Mattos, Departamento de Ciência da Informação (GCI) Instituto de Artes e Comunicação Social (IACS) Universidade Federal Fluminense (UFF)

Bacharel (2006) e Licenciado (2007) em História pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre (2009) e Doutor (2015) em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), ambos com bolsa da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Professor Adjunto II do Departamento de Ciência da Informação do Instituto de Artes e Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense (IACS/UFF). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense (PPGCI/UFF). Atualmente é vice-coordenador do curso de graduação em Arquivologia e do curso de Especialização em Organização, Planejamento e Direção de Arquivos (ESPPARQ) da mesma universidade e coordenador do Programa de Monitoria do Departamento de Ciência da Informação (GCI). Tem experiência na área de Arquivologia, com ênfase nos seguintes temas: Arquivos Pessoais, Arquivos Permanentes e História dos Arquivos. Atuou na organização da documentação custodiada pela Fundação Fernando Henrique Cardoso (FFHC) e pela Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô-SP). É também pesquisador em História do Brasil, com ênfase em história do Império luso-brasileiro, história política e administrativa do período joanino e história e historiografia de São Paulo colonial.

Adriana Arrojado Correia Pereira, Programa de Pòs-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) Universidade Federal Fluminense (UFF)

Possui graduação (bacharel e licenciado) em História pela Universidade Federal Fluminense (2013). Possui graduação (bacharel) em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (2017). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense (PPGCI/UFF) – Niterói – RJ (Brasil).

Publicado

2020-12-27

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos