Educação patrimonial, bibliotecas e museus virtuais na escola

Autores

  • Ítalo Teixeira Chaves
  • Lidia Eugenia Cavalcante

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n4.56877

Resumo

Visa discorrer sobre a educação patrimonial a partir da presença de bibliotecas e museus virtuais na escola. Problematiza acerca da apropriação e usos em sala de aula das ambiências virtuais como espaços de aprendizagem, que possibilitam a salvaguarda, a valorização e o acesso à memória documental. Discute a percepção de alunos do ensino médio de uma escola pública da cidade de Fortaleza -Ceará a respeito da patrimonialização digital. Como metodologia de pesquisa, valeu-se da realização de oficina de mediação para o público jovem escolar, com o intuito de apresentar ambiências culturais cujos acervos estão disponibilizados em meio digital. Como resultado, evidencia-se que a educação patrimonial e a realização de trabalho pedagógico sistemático por meio do qual indivíduos ou coletivos sejam levados a interagir com coleções memorialísticas em diferentes formatos, suportes ou mídias, certamente contribuirão para a valorização desses bens patrimoniais.

 

Palavras-chave: Educação patrimonial. Bibliotecas e museus virtuais. Patrimonialização digital. Mediação da informação.

 

Link: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/biblio/article/view/53105/31773

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ítalo Teixeira Chaves

Graduando em Biblioteconomia.

Lidia Eugenia Cavalcante

Doutorado em Educação Professora do PPGCI -UFC.

Publicado

2020-12-26

Edição

Seção

Resumos de artigos científicos