A Produção Cientifica da Ciência da Informação no Brasil: Análise do período de 2010 a 2020 nas bases de dados Web of Science e Scopus

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2021v16n1.58032

Resumo

Este artigo integra uma pesquisa em andamento. A pesquisa tem como objetivo a análise da produção científica nacional da Ciência da Informação, no período de 2010 a 2020, publicados em periódicos indexados nas bases de dados Web of Science e Scopus.  Para atingir o objetivo geral optou-se pelos seguintes objetivos específicos: Levantar a produção científica dos docentes\pesquisadores dos programas de pós-graduação em Ciência da informação; Identificar as principais temáticas abordadas na produção científica dos programas de pós-graduação do Brasil; Identificar os autores mais produtivos por programa de pós-graduação; Verificar a colaboração existente na área; Levantar os títulos de periódicos mais produtivos no período estudado; Caracterizar os Programas mais produtivos. É uma pesquisa descritiva com abordagens quantitativas e qualitativas. A abordagem quantitativa utilizará técnicas bibliométricas e cientométricas para auxiliar na mensuração da produtividade dos pesquisadores. Ao fazer o levantamento da produção científica no período de 2010 a 2020 nas bases Web of Science e Scopus foram encontrados 3.000 artigos e revisões. No sentido de identificar as principais temáticas abordadas optou-se por identificar as palavras-chave e a relevância no período estudado. Foram encontrados 1.093 autores na base Web of Science e na base Scopus 6.886 autores que produziram 2.206 artigos e revisões no período de 2010 a 2020. Ao verificar a colaboração existente na área da Ciência da Informação no período de 2010-2020 nota-se uma expressiva colaboração institucional no total da produção acadêmica. A colaboração institucional corresponde a 34% da produção acadêmica. Para levantar os periódicos mais produtivos no período estudado, verificou-se nas duas bases de dados as publicações em 48 periódicos. Para caracterizar os programas mais produtivos adotou-se as seguintes referências: ano de início dos programas, número de professores dos programas, áreas de concentração dos programas, as modalidades de pós-graduação stricto sensu de cada programa, a avaliação pela CAPES do mestrado e doutorado e a localização regional. Nota-se que há uma concentração dos programas na região Sudeste.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlene Oliveira, UFMG

Docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Gestão e Organização do conhecimento da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil

Downloads

Publicado

2021-03-20

Edição

Seção

Pesquisas em andamento