ROUSSEAU: POVO SOBERANO E LIVRE

  • José João Neves Barbosa Vicente Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Resumo

Rousseau nunca aceitou a sociedade do seu tempo, e um dos motivos é precisamente o fato dela ser, pelo menos para ele, uma sociedade sem liberdade e sem a igualdade entre seus membros, pois seu fundamento encontra-se alicerçado em um pacto de submissão e não de associação. Para Rousseau, portanto, é necessário pensar uma nova sociedade formada através de um verdadeiro pacto que preserve a liberdade dos seus associados. O objetivo deste artigo é apresentar, analisar e discutir essa nova sociedade como imaginada por Rousseau.

Biografia do Autor

José João Neves Barbosa Vicente, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
Professor de Filosofia da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Referências

BADIOU, Alain. Compêndio de metapolítica. Trad. Felipe Duarte. Lisboa: Instituto Piaget, 1999.

BERLIN, Isaiah. La liberte et ses traîtres: six ennemis de la liberté. Trad. Laurent Folliot, Paris: Payot & Rivages, 2007.

CASSIRER, Ernst. A filosofía do iluminismo. Trad. Álvaro Cabral. Campinas: UNICAMP, 1992.

COLETTI, Luciana. Sociedade e política: estudo sobre natureza humana em Jean-Jacques Rousseau. Passo fundo: IFIBE, 2006.

CRANSTON, Maurice. Rousseau’s theory of liberty. In: WOKLER, Robert (Ed.). Rousseau and liberty, Manchester: Manchester University Press, Manchester,

DELANEY, James. Starting with Rousseau. London: Continnum, 2009.

DENT, Nicholas. Rousseau. London: Routledge, 2005.

DERATHÉ, Robert. Rousseau e a ciência política de seu tempo. Trad. Natália Maruyama. São Paulo: Barcarolla; Discurso Editorial, 2009.

FRIEDLANDER, Eli. J.J. Rousseau: an afterlife of words. Cambridge: Harvard University Press, 2004.

HARRISON, Ross. Democracy. London: Routledge, 1993.

HOFFMAN, Stanley. The social contract, or the mirage of the general will. In: Christie MCDONALD, Christie & HOFFMAN, Stanley (Eds.). Rousseau and Freedom. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

MELZER, Arthur. The natural goodness of man: on the system of Rousseua’s thought. Chicago: University of Chicago Press, 1990.

PUTTERMAN, Ethan. Rousseau: law and the sovereignty of the people. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. Trad. Lourdes Santos Machado. São Paulo: Abril Cultural, 1983 (Os Pensadores).

______. Confissões. Trad. Fernando Lopes Graça. Lisboa: Portugália, 1964.

______. Emílio ou da educação. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

______. Cartas escritas da montanha. Trad. Maria Constança Peres Pissarra e Maria das Graças de Souza. São Paulo: EDUC; UNESP, 2006.

______. Fragmentos político. Trad. José Rubio Carracedo. Contraste. Revista Internacional de Filosofia. Málaga, v. XI p.233-252, 2006ª.

SAHD, Luiz Felipe Neto de Andrade e Silva. Rousseau e as máximas do governo do estado. Florianópolis: Nefipo, 2010.

SHELL, Susan. Emile: nature and the education of Sophie. In: RILEY, Patrick (Ed.). The Cambridge companion to Rousseau. New York: Cambridge University Press, 2001.

SIMPSON, Matthew. Rousseau's Theory of Freedom. London: Continuum, 2006.

WOKLER, Robert. Rousseau: a very short introduction. New York: Oxford University Press, 2001.

Publicado
2017-09-17
Seção
Artigos

Artigos mais lidos do (s) mesmo (s) autor (es)