EPIDEMIOLOGIA DO ARANEÍSMO DE 2005 A 2013 NO CENTRO DE ASSISTÊNCIA TOXICOLÓGICA, JOÃO PESSOA-PB, BRASIL

  • Vanessa Medeiros da NÓBREGA Universidade Federal da Paraíba http://orcid.org/0000-0002-2596-8259
  • Saemmy Grasiely Estrela de ALBUQUERQUE Universidade Federal da Paraíba
  • Iris Mariana da Costa BARROS Universidade Federal da Paraíba
  • Mayara Muniz Dias RODRIGUES Universidade Federal da Paraíba
  • Maria de Fatima Leandro MARQUES Universidade Federal da Paraíba

Resumo

Registros de araneísmo no nordeste do Brasil são escassos e, possivelmente, subestimam a verdadeira situação de risco. Objetivo: analisar o perfil clínico-epidemiológico do araneísmo no período de 2005 a 2013 notificados no Centro de Assistência Toxicológica da Paraíba. Materiais e métodos: estudo descritivo com dados coletados no banco de dados do Centro de Assistência Toxicológica da Paraíba e em suas fichas de notificação dos acidentes. Resultados: Ocorreram 484 notificações de acidentes com aranhas, nos quais dos 202 casos com identificação de gênero, prevaleceu os acidentes com caranguejeira (57,9%) e Loxosceles (33,2%). Quanto à sazonalidade, os meses com maior número de ocorrências foram agosto, março, janeiro e junho, respectivamente. A maioria dos acidentes ocorreu em zona urbana; o sexo feminino e a faixa etária entre os 21 aos 30 anos foram os mais acometidos; e os membros superiores e os inferiores foram os locais mais atingidos. As principais manifestações clínicas foram dor, eritema, edema e prurido. Conclusão: Os resultados indicam que a prevalência do araneísmo pode apresentar relação com o urbanismo, não ocorreu predominância de casos graves. DESCRITORES: Aranhas. Animais Peçonhentos. Epidemiologia descritiva. Estudos retrospectivos. Prevenção de Acidentes. Toxicologia.

Biografia do Autor

Vanessa Medeiros da NÓBREGA, Universidade Federal da Paraíba
Enfermeira. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Enfermagem.
Saemmy Grasiely Estrela de ALBUQUERQUE, Universidade Federal da Paraíba
Enfermeira. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Enfermagem.
Iris Mariana da Costa BARROS, Universidade Federal da Paraíba
Enfermeira. Universidade Federal da Paraíba
Mayara Muniz Dias RODRIGUES, Universidade Federal da Paraíba
Enfermeira. Universidade Federal da Paraíba.
Maria de Fatima Leandro MARQUES, Universidade Federal da Paraíba
Enfermeira. Bióloga. Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Saúde da Família. Mestranda da FACNORTE
Publicado
2018-03-06
Como Citar
NÓBREGA, V. M. da, ALBUQUERQUE, S. G. E. de, BARROS, I. M. da C., RODRIGUES, M. M. D., & MARQUES, M. de F. L. (2018). EPIDEMIOLOGIA DO ARANEÍSMO DE 2005 A 2013 NO CENTRO DE ASSISTÊNCIA TOXICOLÓGICA, JOÃO PESSOA-PB, BRASIL. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 22(1), 21-26. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2018v22n1.24415
Seção
Pesquisa