DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM USUÁRIOS DE UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA - PREVALÊNCIA, PERFIL DEMOGRÁFICO, UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E NECESSIDADES CLÍNICAS

  • Tatiana de Oliveira SATO Professor. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
  • Nathalya Tamara Costa FERMIANO Graduando. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
  • Mariana Vieira BATISTÃO Doutorando. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
  • Ana Silvia MOCCELLIN Professor. Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão/Sergipe (SE), Brasil.
  • Patricia DRIUSSO Professor. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
  • Silvia Helena Zem MASCARENHAS Professor. Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil.

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) entre usuários adultos e idosos de Unidades de Saúde da Família do município de São Carlos/SP e identificar o perfil demográfico, utilização de serviços de saúde e as necessidades clínicas destes usuários. Materiais e métodos: O estudo foi desenvolvido em 16 USF do município de São Carlos/SP, incluindo 2407 famílias e 8844 pessoas. Dados sobre a prevalência de DCNT foram analisados para a população adulta (maior de 18 anos; n=5690). Variáveis demográficas foram analisadas para os grupos com DCNT e controle. Os dados foram analisados descritivamente e por meio do teste Qui-quadrado no programa SPSS com nível de significância de 5%. Resultados: Os resultados mostraram que a prevalência de DCNT foi de aproximadamente 35% (IC95%=33,4-35,9%), sendo maior em idosos, mulheres, indivíduos com menor grau de escolaridade, viúvos, aposentados e afastados do trabalho. Não houve associação entre as DCNT e o tabagismo. O serviço de saúde mais utilizado foi a USF em ambos os grupos. Indivíduos com DCNT utilizaram com maior frequência a Unidade de Pronto Atendimento, Unidade Básica de Saúde e Centro de Especialidades Médicas. Conclusões: Os resultados demonstraram que a prevalência de DCNT é alta entre os adultos e idosos avaliados neste estudo, o Sistema Único de Saúde é a referência para tratamento/acompanhamento desses indivíduos. Ações de planejamento para prevenção e controle das DCNT podem ser delineadas no município a partir deste perfil. DESCRITORES Sistema Único de Saúde. Saúde da Família. Epidemiologia. Prevenção. Hipertensão Arterial Sistêmica. Diabetes.

Biografia do Autor

Tatiana de Oliveira SATO, Professor. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
Depto de Fisioterapia Programa de Pós Graduação em Fisioterapia Universidade Federal de São Carlos
Nathalya Tamara Costa FERMIANO, Graduando. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
Depto de Fisioterapia Universidade Federal de São Carlos
Mariana Vieira BATISTÃO, Doutorando. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
Depto de Fisioterapia Programa de Pós Graduação em Fisioterapia Universidade Federal de São Carlos
Ana Silvia MOCCELLIN, Professor. Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão/Sergipe (SE), Brasil.
Núcleo de Fisioterapia da Universidade Federal de Sergipe, Lagarto (SE), Brasil
Patricia DRIUSSO, Professor. Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil
Depto de Fisioterapia Programa de Pós Graduação em Fisioterapia Universidade Federal de São Carlos
Silvia Helena Zem MASCARENHAS, Professor. Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos/São Paulo (SP), Brasil.
Depto de Enfermagem Programa de Pós Graduação em Enfermagem Universidade Federal de São Carlos
Publicado
2016-11-23
Como Citar
SATO, T. de O., FERMIANO, N. T. C., BATISTÃO, M. V., MOCCELLIN, A. S., DRIUSSO, P., & MASCARENHAS, S. H. Z. (2016). DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM USUÁRIOS DE UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA - PREVALÊNCIA, PERFIL DEMOGRÁFICO, UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E NECESSIDADES CLÍNICAS. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 21(1), 35-42. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2017v21n1.26510
Seção
Pesquisa