DANÇA DO VENTRE E DESCOBERTAS: PERCEPÇÕES DAS MULHERES SOBRE AS MUDANÇAS OCORRIDAS EM SI MESMAS APÓS A PRÁTICA

  • Liana Patrícia Pinto de OLIVEIRA
  • Ana Cristina Oliveira MARQUES
  • Giulyanne Maria Silva SOUTO

Resumo

Objetivo: O objetivo geral deste estudo consiste em descrever a percepção de mulheres praticantes da dança do ventre sobre as mudanças decorrentes nelas mesmas após a prática desta atividade física/ artística. Material e Métodos: Este estudo caracteriza-se como uma pesquisa com abordagem qualitativa do tipo descritiva. A amostra deste estudo foi constituída por 11 praticantes de dança do ventre de 18 a 40 anos de duas academias que oferecem esta modalidade cidade de João Pessoa no estado da Paraíba. Foi utilizado um questionário para obtenção das características socioeconômicas da amostra como idade, renda, tempo de prática na dança do ventre, estado civil e profissão. Em seguida, as participantes responderam a uma entrevista do tipo semi-estruturada elaborada para este estudo. Para a análise dos dados as entrevistas foram transcritas e em seguida, os conteúdos das respostas foram analisados de acordo com a análise de conteúdo. Resultados: Os dados coletados na entrevista apontaram para a presença apenas de percepções positivas sobre a dança do ventre, sendo os benefícios desta prática referentes aos seguintes aspectos: auto-estima, auto-conhecimento, auto-cuidado, conhecimento em dança sensualidade/sexualidade, menstruação, bem-estar, mudanças físicas, socialização/relacionamentos e saúde. Conclusão: A percepção de mulheres que praticam a dança do ventre em relação aos efeitos desta prática corporal consiste num conjunto de elementos que as beneficiam numa perspectiva holística, consolidando-se assim como atividade física/ artística de grande relevância para os aspectos bio-psico-sociais femininos. DESCRITORES Dança. Atividade Física. Mulheres
Publicado
2016-05-23
Como Citar
OLIVEIRA, L. P. P. de, MARQUES, A. C. O., & SOUTO, G. M. S. (2016). DANÇA DO VENTRE E DESCOBERTAS: PERCEPÇÕES DAS MULHERES SOBRE AS MUDANÇAS OCORRIDAS EM SI MESMAS APÓS A PRÁTICA. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 1(1), 85-92. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rbcs/article/view/28785