ATIVIDADE FÍSICA EM PACIENTES CORONARIOPATAS

  • Josilma da Silva NOGUEIRA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-HUUFMA.
  • Santana de Maria Alves DE SOUSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.
  • Rosilda Silva DIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.
  • Líscia Divana Carvalho SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.

Resumo

Objetivo: verificar a prevalência da atividade física em pacientes coronariopatas. Material e Métodos: Estudo transversal, de caráter descritivo, realizado em pacientes coronariopatas de um hospital do nordeste brasileiro. Investigou-se os dados sociodemográficos (idade, sexo, estado conjugal, escolaridade), estilo de vida (dieta, tabagismo, etilismo; hipercolesterolemia, diabetes, obesidade) e medidas antropométricas (peso, altura, índice de massa corporal, pressão arterial e circunferência abdominal). O nível de atividade física foi avaliado pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) versão longa, entre outubro a dezembro de 2014. Para verificar associação entre as variáveis foi utilizada a regressão logística univariada e multivariada e o testequi-quadrado de independência. Resultados: Dez (53,0%) dos participantes foram considerados ativos pela avaliação das atividades consideradas habituais (doméstica ou laboral). As modalidades mais frequentes foram as atividades diárias como cuidar da casa 15 (78%), atividade física como meio de transporte-bicicleta 7 (36,8%) e atividade física no trabalho 5 (26,3%). A prática de atividade como exercício físico (caminhada ou prática desportiva)não foi frequente na rotina dos coronariopatas 6 (31,6%). Foi encontrada uma associação significativa entre o estado civil e a atividade física. Conclusão: As modalidades de atividades mais frequentes foram cuidar da casa, transporte-bicicleta, exercício ou recreação e no trabalho. Houve predomínio de indivíduos ativos nas atividades consideradas habituais moderadas em casa ou no trabalho. Foi encontrada uma associação significativa do nível de atividade e o estado civil. DESCRITORES Perfil de Saúde.Atividade Física.Doença das Coronárias.

Biografia do Autor

Josilma da Silva NOGUEIRA, HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-HUUFMA.
Enfermeira da Residência Multiprofissional em Saúde do Hospital Universitário da UFMA. São Luís/MA, Brasil.
Santana de Maria Alves DE SOUSA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.
Doutora em Ciências Sociais. Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Marnhão- UFMA. São Luís/MA, Brasil.
Rosilda Silva DIAS, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.
Doutora em Fisiopatologia. Professora do Departamento de Enfermagem da UFMA. São Luís/MA, Brasil.
Líscia Divana Carvalho SILVA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM.
Enfermeira. Doutora em Ciências (Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto- Universidade São Paulo-EERP-USP). Mestre em Enfermagem(Universidade Federal do Ceará-UFC) Docente da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
Publicado
2018-03-16
Como Citar
NOGUEIRA, J. da S., DE SOUSA, S. de M. A., DIAS, R. S., & SILVA, L. D. C. (2018). ATIVIDADE FÍSICA EM PACIENTES CORONARIOPATAS. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 22(2), 101-108. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2018v22n2.31224
Seção
Pesquisa