SINTOMAS DEPRESSIVOS EM PACIENTES DO AMBULATÓRIO DE NEUROLOGIA DO HULW

  • Fernanda Kelly Bezerra DI PACE
  • Rayane da Silva SOUZA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
  • Allefy Beltrão ALBANO
  • Alex Tiburtino MEIRA
  • Isabella Araújo MOTA

Resumo

Objetivo. Avaliar sintomas depressivos em pacientes que buscou o ambulatório de neurologia do HULW-UFPB por diversas outras queixas, comparando seu perfil sociodemográfico e epidemiológico. Métodos. Inquérito realizado de março de 2013 a agosto de 2015, com aplicação do Inventário de Depressão de Beck-II em 235 pacientes, entre 17 e 59 anos. Investigação transversal, qualitativa e quantitativa. Resultados. Prevaleceram mulheres (70%); média de 40,1 anos; casadas e com segundo grau completo. 48% exercem atividade laboral, com predomínio de dois turnos de trabalho (22,1%). Depressão mínima ou ausente: 51,9%; leve: 23,4%; moderada: 15,7%; e severa: 8,9%. Conclusão: A prevalência de pacientes com sintomas depressivos foi maior que o referido na literatura, caracterizando a consagrada interdependência da neurologia com a psiquiatria e esclarecendo quão subestimadas são essas queixas pela população em geral.

Biografia do Autor

Rayane da Silva SOUZA, UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
Bióloga pela Universidade Estadual da Paraíba; estudante de medicina da Universidade Federal da Paraíba.
Publicado
2017-11-15
Como Citar
DI PACE, F. K. B., SOUZA, R. da S., ALBANO, A. B., MEIRA, A. T., & MOTA, I. A. (2017). SINTOMAS DEPRESSIVOS EM PACIENTES DO AMBULATÓRIO DE NEUROLOGIA DO HULW. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 21(4), 31923. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2017v21n4.31923
Seção
Pesquisa