[ID 38092] PROTOCOLO DE CONTROLE DE TRONCO EM AMBIENTE AQUÁTICO PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO

  • Alessandra Mitie Kakihata Associação de Assistência à Criança Deficiente -AACD http://orcid.org/0000-0002-6679-753X
  • Vanessa De Moraes Ramalho
  • Mirna Sayuri Kanashiro
  • Laís Cardoso Oliveira
  • Luciana Oliveira
  • Fabio Rodrigues Branco
  • Camila Pontes Albuquerque
  • Douglas Martins Braga

Resumo

Objetivos: Avaliar os efeitos de um protocolo de controle de tronco em ambiente aquático e sua repercussão na funcionalidade de indivíduos com paralisia cerebral (PC) diparéticoespástico, classificados no nível IV do GMFCS (Gross Motor Function Classification System). Métodos: ensaio clínico controlado, randomizado, cego, descritivo-analítico, quantitativo. Foram triados 92 prontuários, 24 crianças foram incluídas e 22 finalizaram o estudo. Os pacientes foram alocados em grupo controle (GC), que realizou terapias convencionais e grupo intervenção (GI) que realizou o protocolo de exercícios aquáticos. Os grupos foram avaliados pré e pós-intervenção através da Trunk Control Measurement Scale (TCMS), Pediatric Reach Test (PRT), Eletromiografia de Superfície (EMG) dos músculos reto abdominal e latíssimo do dorso. Para análises estatísticas foram utilizados o teste de Kolmogorov-Smirnov no momento pré e pós intervenção, teste de Mann-Whitney para a análise intragrupo e teste de Wilcoxon para análise intergrupo. A Correlação de Spearman foi utilizada para observar o grau de associação entre duas variáveis. Foi considerado um intervalo de confiança (IC) de 95%, nível de significância de p<0,05. Resultados: na análise intragrupo constatou-se melhora no item reação de equilíbrio da TCMS, GI (p=0,019) e o GC (p=0,004). No PRT, GC apresentou maior deslocamento pós-intervenção (p=0,006) que o GI. No item 07 da TCMS houve melhora da ativação muscular do reto abdominal (RA) do GI (p=0,047). Conclusão: No presente estudo, observou-se que a fisioterapia aquática trouxe resultados positivos e ganhos motores relacionados ao controle de tronco e funcionalidade para crianças com paralisia cerebral diparética espásticas GMFCS nível IV. Descritores: Paralisia Cerebral. Hidroterapia. Reabilitação. Eletromiografia. Protocolo.
Publicado
2019-03-21
Como Citar
Kakihata, A. M., De Moraes Ramalho, V., Kanashiro, M. S., Cardoso Oliveira, L., Oliveira, L., Rodrigues Branco, F., Pontes Albuquerque, C., & Martins Braga, D. (2019). [ID 38092] PROTOCOLO DE CONTROLE DE TRONCO EM AMBIENTE AQUÁTICO PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 23(1). https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2019v23n1.38092
Seção
Pesquisa