Presença chinesa na África: percepções da elite política do Quênia

Autores

  • Clarice Barbosa IRI-USP

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-9452.2021v8n16.54106

Resumo

O paradigma da cooperação pelo desenvolvimento pacífico adotado pelo governo chinês no início dos anos 2000 levou à projeção do país sobre as diversas partes do globo, que presenciaram a ascensão da China como uma das grandes potências mundiais. A exponencial entrada de mercadorias e investimentos chineses no continente africano é algo que chama a atenção dos pesquisadores, muitos dos quais buscam entender a percepção das sociedades africanas sobre a presença da China no continente. Neste artigo, buscou-se entender a percepção da elite política do Quênia em relação à China, utilizando ferramentas de análise de sentimento aplicadas aos discursos parlamentares. Os resultados obtidos corroboram as pesquisas já desenvolvidas anteriormente sobre as percepções da sociedade civil queniana: no geral, o sentimento da elite política em relação à China varia de neutro a positivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-16

Edição

Seção

Artigos